Mercado fechará em 2 h 5 min
  • BOVESPA

    109.878,59
    +92,30 (+0,08%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    42.521,04
    -215,44 (-0,50%)
     
  • PETROLEO CRU

    45,53
    +0,62 (+1,38%)
     
  • OURO

    1.808,70
    +4,10 (+0,23%)
     
  • BTC-USD

    18.985,79
    -280,86 (-1,46%)
     
  • CMC Crypto 200

    376,93
    +6,41 (+1,73%)
     
  • S&P500

    3.623,65
    -11,76 (-0,32%)
     
  • DOW JONES

    29.864,88
    -181,36 (-0,60%)
     
  • FTSE

    6.391,09
    -41,08 (-0,64%)
     
  • HANG SENG

    26.669,75
    +81,55 (+0,31%)
     
  • NIKKEI

    26.296,86
    +131,27 (+0,50%)
     
  • NASDAQ

    12.093,50
    +17,50 (+0,14%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3423
    -0,0546 (-0,85%)
     

CEO da Pfizer vende 60% de suas ações após resultados da vacina da COVID-19

Marcus Couto
·1 minuto de leitura
O executivo-chefe da Pfizer, Albert Bourla. (Foto: AP Photo/Pablo Martinez Monsivais, File)
O executivo-chefe da Pfizer, Albert Bourla. (Foto: AP Photo/Pablo Martinez Monsivais, File)

O executivo-chefe da gigante farmacêutica americana Pfizer, Albert Bourla, vendeu 62% de todas as suas ações na empresa no mesmo dia em que a mesma revelou os resultados positivos de sua vacina contra a COVID-19. As informações são do site Business Insider.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

No dia do anúncio, as ações da empresa saltaram 15%, permitindo que a venda fosse feita num patamar próximo à maior alta anual do seu valor.

Leia também:

A manobra de Bourla já era prevista em um plano de venda assinado no dia 19 de agosto, e ela cumpriu com as normas reguladoras do mercado de ações americano.

A Pfizer anunciou na última segunda-feira (9) que os seus testes com uma vacina contra o coronavírus, produzida junto à BioNTech, apresentaram 90% de eficácia na prevenção da COVID-19. A nova vacina ainda precisa ser validada pelo FDA, órgão regulador de substâncias dos Estados Unidos, mas foi recebida pelo mercado e por autoridades de saúde como um marco na luta contra o novo vírus.

Os Estados Unidos vivem hoje um drástico aumento no número de novos casos da COVID-19, com um recorde de 139,855 novos infectados apenas no último dia 10 de novembro.

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube