Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.941,68
    -160,31 (-0,15%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.599,38
    -908,97 (-1,73%)
     
  • PETROLEO CRU

    84,83
    -0,72 (-0,84%)
     
  • OURO

    1.836,10
    -6,50 (-0,35%)
     
  • BTC-USD

    36.335,45
    -2.493,74 (-6,42%)
     
  • CMC Crypto 200

    870,86
    +628,18 (+258,85%)
     
  • S&P500

    4.397,94
    -84,79 (-1,89%)
     
  • DOW JONES

    34.265,37
    -450,02 (-1,30%)
     
  • FTSE

    7.494,13
    -90,88 (-1,20%)
     
  • HANG SENG

    24.965,55
    +13,20 (+0,05%)
     
  • NIKKEI

    27.522,26
    -250,67 (-0,90%)
     
  • NASDAQ

    14.411,00
    -430,00 (-2,90%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1900
    +0,0599 (+0,98%)
     

CEO da Moderna prevê queda "significativa" de eficácia de vacinas contra variante ômicron

·2 min de leitura

O CEO da empresa de biotecnologia Moderna, Stéphane Bancel, afirmou nesta terça-feira (30) que é improvável que as atuais vacinas disponíveis contra a Covid-19 sejam tão eficazes contra a variante ômicron quanto foram contra a Delta.

Em entrevista ao jornal britânico Financial Times, Bancel diz que desconhece o grau de resistência da ômicron aos imunizantes. “Acho que terá uma queda significativa [de eficácia], não sabemos sua magnitude porque temos que esperar os dados", acrescentou, evocando o pessimismo de todos os pesquisadores com quem conversou. A Moderna desenvolveu uma das vacinas mais eficientes contra a Covid-19, ao lado da Pfizer-BioNTech, ambas baseadas na nova tecnologia do RNA mensageiro.

A nova cepa, identificada pelo código científico B.1.1.529, foi detectada pela primeira vez na semana passada na África do Sul. A transmissibilidade, virulência e letalidade da variante ainda são analisadas. Cientistas sul-africanos encontraram 32 mutações na proteína Spike da ômicron, contra oito na variante Delta, que já é considerada altamente infecciosa.

Ao mesmo tempo que o número de mutações nessa proteína não é uma indicação exata do quão perigosa a variante pode ser, a imagem da nova cepa sugere que o sistema imunológico humano pode ter maior dificuldade de combatê-la. Isto poderá resultar em um número maior de pessoas contaminadas, mais pacientes desenvolvendo a Covid-19, mais hospitalizações e um prolongamento da pandemia.

A África do Sul registrou, nas últimas semanas, um rápido aumento dos contágios: no domingo foram 2.800 novos casos, contra 500 da semana anterior. Quase 75% das infecções contabilizadas nos últimos dias foram provocadas pela B.1.1.529.

(Com informações da AFP)


Leia mais

Leia também:
França confirma primeiro caso da variante ômicron da Covid-19
Contra ômicron, Reino Unido recomenda dose de reforço três meses após a segunda
Covid-19: como a Europa se prepara contra a propagação da variante ômicron

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos