Mercado fechado

CEO da FedEx alerta para uma recessão mundial e revela planos para fechar lojas

CEO da FedEx alerta para uma recessão mundial e revela planos para fechar lojas (Foto: Michael Wade/Icon Sportswire via Getty Images)
CEO da FedEx alerta para uma recessão mundial e revela planos para fechar lojas (Foto: Michael Wade/Icon Sportswire via Getty Images)
  • FedEx planeja cortar 90 estabelecimentos de varejo e cinco escritórios corporativos;

  • A empresa divulgou resultados decepcionantes no primeiro trimestre;

  • As ações da FedEx abriram 21,5% mais baixas na manhã desta sexta-feira.

O CEO da FedEx, Raj Subramaniam, acha que estamos caminhando para uma recessão global. Os comentários do executivo vieram depois que a empresa divulgou resultados decepcionantes no primeiro trimestre e anunciou uma série de medidas agressivas de corte de custos para ajudá-la a enfrentar a possível tempestade que se aproxima.

Em entrevista à CNBC, Subramaniam foi perguntado sobre se a economia estava entrando em recessão mundial: "Acho que sim. Mas você sabe, esses números, eles não pressagiam muito bem"

A FedEx enfrentou um declínio nas remessas em todo o mundo "já que as tendências macroeconômicas pioraram significativamente no final do trimestre", disse a empresa. A companhia divulgou lucro de US$ 3,44 por ação, significativamente abaixo do consenso dos analistas de US$ 5,14, segundo dados da Refinitiv citados pela CNBC.

As ações da FedEx abriram 21,5% mais baixas na manhã desta sexta-feira (16) após a divulgação dos resultados. Para ajudar a mitigar a situação, a FedEx planeja cortar voos e estacionar temporariamente algumas aeronaves, reduzir as horas de trabalho e congelar as contratações. Também deve fechar 90 locais de varejo e cinco escritórios corporativos.

A empresa também está revisando suas perspectivas financeiras para 2023 e disse que espera que as condições piorem no segundo trimestre.

O mercado de ações despencou este ano, o Federal Reserve dos EUA elevou as taxas de juros em um esforço para domar a inflação, a economia do país está encolhendo e muitas grandes empresas de tecnologia anunciaram demissões.

CEO do Google sugere demissões

O CEO do Google, Sundar Pichai, alertou para a possibilidade de efetuar demissões na empresa. Uma vez que a gigante da tecnologia busca aumentar sua eficiência em 20%, evitando fortes ventos econômicos.

“O desempenho macroeconômico está correlacionado aos gastos com anúncios, gastos do consumidor e assim por diante”, disse Pichai em uma conferência de tecnologia em Los Angeles nesta terça-feira (7)

“Queremos ter certeza de que, como empresa, quando você tem menos recursos do que antes, está priorizando todas as coisas certas para trabalhar e seus funcionários são realmente produtivos para que possam realmente ter impacto nas coisas em que estão trabalhando. é nisso que estamos gastando nosso tempo”, disse Pichai.