Mercado fechado
  • BOVESPA

    106.363,10
    -56,43 (-0,05%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.714,60
    -491,99 (-0,94%)
     
  • PETROLEO CRU

    81,34
    -1,32 (-1,60%)
     
  • OURO

    1.796,90
    -1,90 (-0,11%)
     
  • BTC-USD

    58.785,88
    -2.059,85 (-3,39%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.406,50
    -67,83 (-4,60%)
     
  • S&P500

    4.551,68
    -23,11 (-0,51%)
     
  • DOW JONES

    35.490,69
    -266,19 (-0,74%)
     
  • FTSE

    7.253,27
    -24,35 (-0,33%)
     
  • HANG SENG

    25.628,74
    0,00 (0,00%)
     
  • NIKKEI

    28.801,51
    -296,73 (-1,02%)
     
  • NASDAQ

    15.615,50
    +28,25 (+0,18%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4191
    -0,0056 (-0,09%)
     

CEO da Cargill vê inflação de alimentos como ‘transitória’

·1 minuto de leitura

(Bloomberg) -- Os crescentes custos dos alimentos provocados por gargalos nas cadeias de suprimentos e outros problemas que afetam a indústria agrícola devem ser “transitórios” e se dissipar com o tempo, disse o diretor-presidente da Cargill.

Most Read from Bloomberg

Os preços de alimentos, desde cereais matinais à carne, continuaram subindo desde o pico inicial durante os primeiros dias do surto de Covid-19, em parte devido a gargalos logísticos. Obstáculos recentes incluem o furacão Ida nos Estados Unidos, que danificou um terminal portuário da Cargill na Luisiana, e a crise energética europeia que prejudica a produção de alimentos no continente. A escassez de mão de obra deixou uma instalação da Cargill na Virgínia com 70% da capacidade.

“Existem problemas na cadeia de suprimentos: como falta de mão de obra, impactos da mudança climática, eventos climáticos extremos, maior demanda por biocombustíveis”, disse CEO da Cargill, David MacLennan, em entrevista à Bloomberg TV na quinta-feira. “Há muita pressão sobre agricultura e alimentos.”

Ainda assim, MacLellan disse que está impressionado com a resiliência dos agricultores e de outros segmentos para transportar alimentos, acrescentando que está “otimista de que os problemas das cadeias de suprimentos serão resolvidos com o tempo”.

A Cargill não especificou quando seu terminal danificado pela tempestade em Reserve, Luisiana, que movimentava cerca de 9% das maiores exportações agrícolas dos EUA, retomará as operações, disse MacLennan. As exportações dos EUA serão mais baixas devido aos impactos do furacão Ida, afirmou.

A Cargill, que tem capital fechado, se beneficiou com a volatilidade e está no caminho para um ano recorde de ganhos.

Most Read from Bloomberg Businessweek

©2021 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos