Mercado fechado
  • BOVESPA

    106.296,18
    -1.438,83 (-1,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.889,66
    -130,39 (-0,25%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,98
    +1,48 (+1,79%)
     
  • OURO

    1.793,10
    +11,20 (+0,63%)
     
  • BTC-USD

    61.054,14
    -1.623,20 (-2,59%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.453,34
    -49,69 (-3,31%)
     
  • S&P500

    4.544,90
    -4,88 (-0,11%)
     
  • DOW JONES

    35.677,02
    +73,94 (+0,21%)
     
  • FTSE

    7.204,55
    +14,25 (+0,20%)
     
  • HANG SENG

    26.126,93
    +109,40 (+0,42%)
     
  • NIKKEI

    28.804,85
    +96,27 (+0,34%)
     
  • NASDAQ

    15.324,00
    -154,75 (-1,00%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5808
    -0,0002 (-0,00%)
     

CEO da AMD acredita que crise de GPU deve diminuir na segunda metade de 2022

·2 minuto de leitura

O mundo da tecnologia enfrenta uma grave crise no fornecimento de chips que já dura alguns meses e muitos analistas ainda acreditam que levará um tempo para o mercado global restabelecer a quantidade de oferta de acordo com a demanda. No entanto, alguns especialistas, como a CEO da AMD, Lisa Su, acreditam que haverá um certo alívio a partir do segundo semestre de 2022.

Em entrevista concedida a jornalistas do New York Times e CNBC, a executiva comentou sobre as razões que levaram à crise no fornecimento de placas gráficas e minimizou o possível impacto causado por mineradores de criptomoedas.

Para Su, o mercado sempre “enfrenta altos e baixos”, com a demanda que ultrapassa a oferta ou vice-versa, mas, dessa vez, o cenário parece diferente. A empresária acredita que a situação ainda deve perdurar pela primeira parte de 2022, com um baixo fornecimento dos componentes, mas deve haver um alívio a partir da segunda metade do ano.

A diretora executiva da AMD ainda comentou sobre quais são os vilões para esse cenário e destacou a pandemia do novo coronavírus como o principal. Segundo Su, “a pandemia levou a demanda [por GPU’s] a um um novo nível”, enquanto a mineração de criptomoedas — a qual ela chamou de “um espaço muito volátil” — não teve muito efeito no suprimento de placas gráficas da empresa.

(Imagem: Reprodução/AMD)
(Imagem: Reprodução/AMD)

Com isso, Su acredita que sua empresa não deve focar, neste momento, na preocupação com o uso das placas gráficas da marca para a mineração, o que não chega a ser uma surpresa, já que a companhia já destacou, há algumas semanas, que não seguirá o caminho da Nvidia de criar limitações para mineração em suas GPUs, e também descartou que vai priorizar a criação de hardwares com essa finalidade em detrimento de chips para jogos.

“Estamos nos esforçando muito para conseguir mais produtos para os jogadores; Eu recebo tantos 'Querida Lisa, você pode me ajudar a obter uma placa de jogo?’. No final do dia, desenvolvemos para esses tipos de consumidores, e é aí que está o foco”, destacou Su.

Vale lembrar que, além da AMD, a Nvidia também acredita que a crise no fornecimento de GPUs deve ver um alívio na metade ou no fim de 2022, de acordo com uma análise levantada pela IDC.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos