Mercado fechará em 3 h 14 min

CEO da Airbus alerta que 15 mil demissões não são ‘pior cenário’

Charlotte Ryan
1 / 2

CEO da Airbus alerta que 15 mil demissões não são ‘pior cenário’

(Bloomberg) -- O diretor-presidente da Airbus, Guillaume Faury, alertou que o plano para cortar 15 mil empregos “não é o pior cenário” enfrentado pela empresa em meio à crise do setor de aviação causada pela Covid-19.

A decisão de reduzir a força de trabalho global em 11% tem como base a expectativa do ritmo mais provável de recuperação do mercado, disse o CEO da fabricante de aviões. Isso pressupõe que o tráfego aéreo doméstico aumentaria significativamente até o fim de 2020, enquanto voos de longo curso se recuperariam até meados de 2021. Caso esse cenário não se concretize, a fabricante terá que revisar os planos, disse Faury em entrevista por telefone.

Se houver uma segunda onda de Covid-19 que atinja companhias aéreas em um grau semelhante ao do primeiro semestre de 2020, “teríamos que nos adaptar novamente”, disse. A expectativa atual da Airbus para a recuperação é “o cenário mais provável - é razoável acreditar no que vemos -, mas não é o pior”.

O número de cortes de empregos é o maior realizado pela empresa desde a fundação da fabricante de aviões europeia e supera o que sindicatos e funcionários esperavam. No entanto, o alerta de Faury sinaliza mais dificuldades à frente no caso de uma segunda onda do vírus, algo visto com uma probabilidade cada vez maior já que os casos, principalmente nos EUA, continuam a aumentar ao mesmo tempo em que países reabrem suas economias e fronteiras.

Na terça-feira, a Airbus disse que a empresa vai eliminar mais de 10 mil posições em suas principais bases na Alemanha e na França. Faury disse que a produção do grupo será 40% menor do que o esperado por dois anos devido à forte queda da demanda por aeronaves. A empresa já havia alertado anteriormente que está queimando caixa.

Cerca de 1,7 mil empregos devem ser eliminados no Reino Unido, 900 na Espanha e cerca de 1,3 mil em outros países até meados de 2021. Medidas voluntárias, como aposentadoria antecipada, serão a parte principal do processo, com demissões mandatórias como “último recurso”, disse Faury.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2020 Bloomberg L.P.