Mercado abrirá em 2 h 47 min
  • BOVESPA

    102.814,03
    +589,77 (+0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.796,30
    +303,78 (+0,61%)
     
  • PETROLEO CRU

    67,98
    -1,97 (-2,82%)
     
  • OURO

    1.794,70
    +9,50 (+0,53%)
     
  • BTC-USD

    56.657,61
    -713,84 (-1,24%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.433,07
    +4,14 (+0,29%)
     
  • S&P500

    4.655,27
    +60,65 (+1,32%)
     
  • DOW JONES

    35.135,94
    +236,60 (+0,68%)
     
  • FTSE

    7.034,73
    -75,22 (-1,06%)
     
  • HANG SENG

    23.475,26
    -376,98 (-1,58%)
     
  • NIKKEI

    27.821,76
    -462,16 (-1,63%)
     
  • NASDAQ

    16.297,25
    -93,50 (-0,57%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3506
    +0,0214 (+0,34%)
     

Centro da Universidade de Oxford deve chegar ao Brasil em 22; saiba detalhes

·2 min de leitura

Na quarta-feira (28), o Ministério da Saúde e a Universidade de Oxford, do Reino Unido, firmaram acordo para a instalação de uma unidade da instituição no Brasil. A ideia é que o centro seja voltada para pesquisas em saúde, desenvolvimento de vacinas e formação de pesquisadores na área. Por enquanto, o projeto deve ser instalado no Rio de Janeiro, em 2022.

De acordo com a Saúde, esta será a primeira unidade da Universidade de Oxford nas Américas. Com previsão de abertura em 2022, deverão ser ofertados cursos de mestrado, doutorado e atualização para profissionais no local. "O Instituto Nacional de Cardiologia (INC), no Rio de Janeiro, é um potencial candidato para sediar as atividades de pesquisa no Brasil", afirmou a pasta, em nota.

Centro brasileira da Universidade de Oxford deve contribuir com a formação de cientistas (Imagem: Reprodução/Leungchopan/Envato Elements)
Centro brasileira da Universidade de Oxford deve contribuir com a formação de cientistas (Imagem: Reprodução/Leungchopan/Envato Elements)

O termo de parceria foi assinado na sede da universidade, no Reino Unido. Além da Universidade de Oxford, fazem parte do projeto outras instituições, como a Universidade de Siena e o Institute for Global Health, do Internacional Vaccines Institute.

Parceria na vacina contra a covid-19

Vale lembrar que a Universidade de Oxford faz parte do consórcio com a farmacêutica AstraZeneca para a produção da vacina contra a covid-19. Ambas trabalham em parceria com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Esta união é que permitiu a produção e distribuição de imunizantes para milhões de brasileiros.

Até agora, foram distribuídas mais de 113 milhões de doses da vacina, segundo dados do Ministério da Saúde. "A parceria internacional para o desenvolvimento de vacinas foi essencial para o enfrentamento da pandemia no Brasil", explicou a Saúde. Inclusive, a Fiocruz vive um novo capítulo nessa história, já que poderá produzir doses 100% nacionais e estreita os laços com a universidade britânica.

"A transferência de tecnologia entre a AstraZeneca e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) é um passo importante para garantir a autossuficiência do país na produção de imunizantes contra a covid-19", destacou a pasta. Os primeiros lotes do Insumo Farmacêutico Ativo (IFA) — a matéria-prima para a produção dos imunizantes — produzidos no Brasil foram enviados para testes nos Estados Unidos e aguardam aprovação.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos