Mercado fechará em 50 mins
  • BOVESPA

    126.621,09
    +2.009,06 (+1,61%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.340,85
    +430,32 (+0,85%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,36
    +0,71 (+0,99%)
     
  • OURO

    1.802,00
    +2,20 (+0,12%)
     
  • BTC-USD

    40.343,38
    +2.369,13 (+6,24%)
     
  • CMC Crypto 200

    944,08
    +14,15 (+1,52%)
     
  • S&P500

    4.408,56
    +7,10 (+0,16%)
     
  • DOW JONES

    34.997,33
    -61,19 (-0,17%)
     
  • FTSE

    7.016,63
    +20,55 (+0,29%)
     
  • HANG SENG

    25.473,88
    +387,45 (+1,54%)
     
  • NIKKEI

    27.581,66
    -388,56 (-1,39%)
     
  • NASDAQ

    15.020,50
    +72,75 (+0,49%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0648
    -0,0436 (-0,71%)
     

Centrais sindicais farão 'esquenta' nesta sexta-feira para manifestações nacionais contra Bolsonaro

·1 minuto de leitura

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Os presidentes das centrais sindicais participarão de ato nesta sexta-feira (18) que funcionará como aquecimento para as manifestações nacionais contra Jair Bolsonaro, marcadas para sábado (19).

Os líderes de CSB, CUT, Força Sindical, CTB, entre outras, estarão a partir das 7h na avenida das Nações Unidas, na zona sul de São Paulo, para atividades de mobilização e convocação para o ato do dia seguinte.

"No próximo sábado (19), estaremos nas ruas pelo Fora Bolsonaro, mas é preciso ir além. É hora de dizer não à reforma administrativa, exigir os R$ 600 de auxílio emergencial e gritar bem alto: vacina no braço e comida no prato", diz Antonio Neto, presidente da CSB.

As centrais pretendem promover assembleias em locais de trabalho, atividades de panfletagem e paralisações nesta sexta-feira (18).

As centrais não convocaram seus membros para as manifestações de 29 de maio, e líderes da campanha Fora, Bolsonaro acreditam que isso contribuiu para que não tenham sido maiores.

Com apoio aberto de sindicatos e também de partidos de oposição, eles acreditam que mais de 500 cidades receberão atos neste sábado (19). O protesto anterior aconteceu em ao menos 213 cidades do Brasil e 14 do exterior, segundo estimativa dos movimentos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos