Mercado fechado
  • BOVESPA

    122.038,11
    +2.117,50 (+1,77%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.249,02
    +314,11 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,82
    +0,11 (+0,17%)
     
  • OURO

    1.832,00
    +16,30 (+0,90%)
     
  • BTC-USD

    57.569,78
    +1.330,54 (+2,37%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.480,07
    +44,28 (+3,08%)
     
  • S&P500

    4.232,60
    +30,98 (+0,74%)
     
  • DOW JONES

    34.777,76
    +229,23 (+0,66%)
     
  • FTSE

    7.129,71
    +53,54 (+0,76%)
     
  • HANG SENG

    28.610,65
    -26,81 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    29.357,82
    +26,45 (+0,09%)
     
  • NASDAQ

    13.715,50
    +117,75 (+0,87%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3651
    -0,0015 (-0,02%)
     

Ceni justifica queda de rendimento nos efeitos da altitude, mas exalta vitória do Flamengo sobre a LDU

LANCE!
·2 minuto de leitura


Um primeiro tempo dominante, um apagão no início da etapa final e um gol salvador para garantir os três pontos. Assim se construiu a vitória do Flamengo por 3 a 2 sobre a LDU, nesta terça-feira, em Quito, no Equador. Após a partida, Rogério Ceni concedeu entrevista coletiva e citou a altitude de 2.850 metros como determinante para a queda de produção da equipe após o intervalo.

+ ATUAÇÕES: Gabi decide, Bruno Henrique marca golaço e Everton Ribeiro cresce de produção em vitória do Flamengo

- O Flamengo ganhou aqui um amistoso se eu não me engano em Quito há quase 70 anos. Deve ter algum motivo para o time baixar a intensidade no segundo tempo. Jogar na altitude não é fácil. A LDU se eu não me engano estava invicta na temporada. E principalmente os mais jovens, o João, por exemplo, fez um primeiro tempo brilhante. Mas talvez não soube dosar a energia. Também por não ter a experiência de jogar na altitude - explicou de Ceni antes de completar:

- Mas sem dúvida nenhuma o que fez a gente baixar o jogo no segundo tempo foi que todo mundo foi ao seu limite. Se pudesse fazer oito, nove alterações, daria para ter feito porque o cansaço era geral pelo fato de se estar prejudicado de jogar a quase 3 mil metros de altura.

Apesar do apagão e da pressão adversária, Ceni preferiu exaltar a importância da vitória do Flamengo, que se manteve com 100% de aproveitamento no Grupo G da Libertadores.

+ Diego Alves e Renê sentem problemas musculares e preocupam o Flamengo para reta final do Carioca

- Eu sou extremamente grato por trabalhar em um clube que oferece tantas condições. E principalmente trabalhar com jogadores tão especiais no dia a dia, que têm tanta capacidade técnica de resolver o jogo, que procura sempre o melhor para a equipe, que compram as ideias. Mesmo jogando na altitude, mesmo jogando fora de casa, poderíamos fazer uma equipe bem defensiva, e continuamos com a proposta de tentar ganhar jogos. O que não podemos controlar é um segundo tempo como o de hoje, que o cansaço nós sabíamos que bateria.

- Eu acho que temos que ressaltar aqui o esforço máximo feito pelos atletas, pelo clube com fretamento para tentar chegar aqui nas melhores condições possíveis. E temos que comemorar coisas boas. Claro que sempre tem coisas para corrigir, mas temos que dar valor às coisas boas que acontecem no clube - acrescentou o treinador.

+ Confira a tabela completa da Libertadores

Após vencer a LDU, o Flamengo tem pela frente o jogo de volta da semifinal do Carioca, contra o Volta Redonda. A partida será neste sábado, às 21h05, no Maracanã. Por ter vencido a ida por 3 a 0 e ter a vantagem do empate, o Rubro-Negro pode perder até por três gols de diferença para avançar à final do Estadual.