Mercado fechado

Cemig lança chamada pública para aquisição de projetos eólicos

Letícia Fucuchima
·2 minutos de leitura

O processo é voltado à contratação de projetos ainda não finalizados, já que a companhia pretende continuar a desenvolvê-los e comercializar a energia em leilões A Cemig lançou nesta segunda-feira (21) uma chamada pública com o objetivo de adquirir projetos de parques de geração eólica. O processo é voltado à contratação de projetos ainda não finalizados, já que a companhia pretende continuar a desenvolvê-los e comercializar a energia em leilões do mercado regulado ou no ambiente de contratação livre (ACL). De acordo com o edital, já disponível no site da Cemig, a companhia irá priorizar projetos com determinadas características. São critérios para pontuação e classificação itens como o fator de capacidade (proporção entre produção efetiva e a capacidade máxima da usina em determinado período), a medição de perdas, a posse de licença ambiental de instalação válida, localização de fácil acesso via rodovia, entre outros. Ainda de acordo com a documentação, a companhia mineira busca, na chamada pública, apenas projetos que tenham condições de serem habilitados pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE) a participar em leilões de energia nova em 2021. O prazo para esclarecimentos sobre a chamada pública vai até 18 de outubro. Os desenvolvedores interessados devem protocolar os projetos até às 17h do dia 23 de outubro. Depois de analisados, a Cemig ranqueará os projetos e fechará negócio com os melhores classificados, considerando sua demanda interna para novas energias. Maior atuação em geração renovável O plano de organizar a chamada pública foi revelado pela estatal mineira há cerca de um mês, na conferência de resultados do segundo trimestre, e explorado junto a investidores e analistas na reunião anual realizada na semana passada. Na ocasião, os executivos apontaram que a Cemig quer ampliar sua atuação em geração renovável a partir das fontes eólica e solar. Para isso, pretende desenvolver projetos próprios, mudando a estratégia adotada nos últimos anos, que envolvia a compra de energia renovável de terceiros a partir de leilões “privados”. Atualmente, a Cemig tem cerca de 6 gigawatts (GW) de capacidade instalada para geração de energia. O portfólio já é 100% renovável e está concentrado principalmente na fonte hídrica. A empresa possui dois parques eólicos localizados no Ceará: Parajuru, com 19 aerogeradores, e Volta do Rio, com 28, somando 70,8 MW de potência. Em comunicado, a Cemig destacou também que, para expandir ainda mais o parque gerador, está realizando estudos para implantar duas usinas flutuantes no reservatório da Usina de Três Marias, que terão 210 e 60 MW de potência instalada.