Mercado fechado
  • BOVESPA

    98.672,26
    +591,91 (+0,60%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.741,50
    +1.083,62 (+2,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    107,06
    +2,79 (+2,68%)
     
  • OURO

    1.828,10
    -1,70 (-0,09%)
     
  • BTC-USD

    21.307,92
    +279,75 (+1,33%)
     
  • CMC Crypto 200

    462,12
    +8,22 (+1,81%)
     
  • S&P500

    3.911,74
    +116,01 (+3,06%)
     
  • DOW JONES

    31.500,68
    +823,32 (+2,68%)
     
  • FTSE

    7.208,81
    +188,36 (+2,68%)
     
  • HANG SENG

    21.719,06
    +445,19 (+2,09%)
     
  • NIKKEI

    26.491,97
    +320,72 (+1,23%)
     
  • NASDAQ

    12.132,75
    +395,25 (+3,37%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5524
    +0,0407 (+0,74%)
     

Celulares são os itens mais explorados por golpistas no e-commerce em 2022

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Os celulares são os produtos mais visados pelos golpistas na hora de realizar fraudes por meio do comércio eletrônico. Os smartphones representaram 40% dos casos registrados durante o primeiro trimestre de 2022, seguidos de vídeo games, com 19%, e computadores, com 12%. Como dá para imaginar, os iPhones são os preferidos dos criminosos, com 70% dos golpes envolvendo dispositivos desse tipo.

Os dados aparecem em um estudo da OLX, realizado ao lado da plataforma de proteção de identidade AllowMe. O levantamento também mostrou que o antigo golpe da compra confirmada, no qual e-mails e comprovantes de pagamento são fraudados para simular uma aquisição de produto e induzir o vendedor ao envio, é o mais comum, com 68% dos casos de fraude registrados entre janeiro e março deste ano.

Em segundo lugar estão os anúncios falsos, com 31%, quando o criminoso faz a publicação de um produto sem o possuir de verdade, como forma de atrair compras e transferências das vítimas. Tal informação dialoga diretamente com outro dado da categoria iPhone, na qual os anúncios fraudulentos são feitos por valores cerca de 14% mais baratos que os produtos idôneos, justamente como forma de chamar mais atenção dos clientes e aumentar a possibilidade de um golpe bem-sucedido.

O valor também mostra sua importância na lista de dispositivos mais visados pelos golpistas, com o iPhone 11, mais caro, liderando à frente do iPhone XR e do iPhone 8 Plus, modelos com preços mais baixos e que podem passar por unidades usadas ou antigas. O iPhone 12 Pro Max e o iPhone 11 Pro Max completam a lista.

<em>Amostra de comprovação de pagamento fraudada, usada por criminosos no golpe da compra confirmada para induzir vendedores a realizarem o envio do produto (Imagem: Reprodução/RecordTV)</em>
Amostra de comprovação de pagamento fraudada, usada por criminosos no golpe da compra confirmada para induzir vendedores a realizarem o envio do produto (Imagem: Reprodução/RecordTV)

O prejuízo estimado pela OLX pelos golpes praticados no primeiro trimestre de 2022 é de R$ 39,7 milhões, com a maioria das vítimas sendo homens (70%), com idades até 31 anos (77%). O estado de São Paulo foi o que teve mais fraudes confirmadas, com 30% dos casos, seguido do Rio de Janeiro (16%) e Minas Gerais (9%).

“Os fraudadores atuam, principalmente, na falta de conhecimento dos usuários sobre os processos de compra e venda eletrônica para aplicar engenharia social e enganá-los”, explica Beatriz Soares, diretora de produto e operações da OLX. Na visão dela, a educação sobre os sistemas e comportamentos suspeitos pode ajudar na proteção dos clientes e evitar que as pessoas caiam em golpes desse tipo.

Já Ranier Aquino, especialista em prevenção à fraude do AllowMe, aponta a impulsividade como principal fator, com os usuários “deixando a razão de lado” ao verem preços mais baixos e estoques limitados de um produto que desejam muito. “[Os clientes] aguem pela emoção, têm pressa e acabam não se atentando às dicas de segurança das plataformas, deixando de conferir comprovantes de pagamento e contas de recebimento”, completa.

Como se proteger de golpes no e-commerce

A atenção e o desconfiômetro são os melhores aliados das compras seguras na internet. Fique atento, sempre, a anúncios que prometam produtos populares a preços bem abaixo do usual ou promoções boas demais para serem verdade — normalmente elas são mentira. Sites falsos, também, podem ser usados para atrair compras fraudulentas, usando o nome de grandes varejistas e marcas.

Na hora de vender um produto, fique atento a comprovantes e documentos, verificando se o valor caiu em sua conta antes de realizar o envio. Da mesma maneira, na compra, é importante observar a reputação de vendedores e lojistas, em busca de comentários negativos ou que denotem problemas, antes de realizar qualquer tipo de pagamento; prefira sempre os meios sancionados pelas próprias lojas, em vez de depósitos diretos ou transferências via PIX.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos