Mercado abrirá em 1 h 29 min
  • BOVESPA

    120.294,68
    +997,55 (+0,84%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.329,84
    +826,13 (+1,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,03
    -0,12 (-0,19%)
     
  • OURO

    1.746,70
    +10,40 (+0,60%)
     
  • BTC-USD

    62.437,47
    -1.526,78 (-2,39%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.362,57
    -13,20 (-0,96%)
     
  • S&P500

    4.124,66
    -16,93 (-0,41%)
     
  • DOW JONES

    33.730,89
    +53,62 (+0,16%)
     
  • FTSE

    6.954,39
    +14,81 (+0,21%)
     
  • HANG SENG

    28.793,14
    -107,69 (-0,37%)
     
  • NIKKEI

    29.642,69
    +21,70 (+0,07%)
     
  • NASDAQ

    13.886,75
    +88,00 (+0,64%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7638
    -0,0091 (-0,13%)
     

Celulares Google Pixel ganham medição de frequência cardíaca pela câmera

Diego Sousa
·1 minuto de leitura

Como prometido há pouco mais de um mês, o Google começou a disponibilizar nesta semana a medição de frequência cardíaca e respiratória pela câmera dos celulares Pixel. A novidade chega através do Google Fit, aplicativo de monitoramento e acompanhamento de saúde, primeiramente aos modelos da fabricante, mas tem previsão de lançamento para outros smartphones Android no futuro.

O funcionamento do recurso é simples: para medir a frequência cardíaca, o usuário só precisa pressionar seu dedo indicado contra a câmera traseira por alguns segundos. Segundo o Google, os dados são extraídos graças a "alterações discretas" na coloração da ponta dos dedos, que permitem que o fluxo sanguíneo seja avaliado pelos algoritmos inseridos no app.

(Imagem: Divulgação/Google)
(Imagem: Divulgação/Google)

Para medir a frequência respiratório, por outro lado, o usuário precisará apoiar o celular em uma superfície estável e se enquadrar na câmera frontal, da altura do seu peito até o rosto. Depois de alguns segundos, o app entregará os resultados, baseando-se na quantidade de inspirações feitas dentro de um minuto.

(Imagem: Divulgação/Google)
(Imagem: Divulgação/Google)

Segundo o Google, os dados registrados pelo aplicativo são processados somente no dispositivo, ou seja, eles não são armazenados nos servidores da empresa. No entanto, vale mencionar que a avaliação não deve ser usada como elemento para consultas médicas, mesmo que o software já esteja adaptado para identificar os batimentos em diversos sons de pele e iluminação externa.

Apesar de muito interessante, é importante deixar claro que os recursos não são tão precisos quanto os dispositivos que possuem sensores dedicados para esses tipos de avaliações, já que a medição é feita através do conjunto fotográfico. No entanto, eles podem ser usados como uma ferramenta extra para ajudar os usuários a manterem uma vida mais saudável.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: