Mercado fechará em 4 h 4 min
  • BOVESPA

    116.631,50
    +497,04 (+0,43%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.676,57
    +246,82 (+0,54%)
     
  • PETROLEO CRU

    86,32
    +2,69 (+3,22%)
     
  • OURO

    1.734,40
    +32,40 (+1,90%)
     
  • BTC-USD

    20.081,57
    +701,11 (+3,62%)
     
  • CMC Crypto 200

    455,65
    +10,21 (+2,29%)
     
  • S&P500

    3.779,15
    +100,72 (+2,74%)
     
  • DOW JONES

    30.220,94
    +730,05 (+2,48%)
     
  • FTSE

    7.086,46
    +177,70 (+2,57%)
     
  • HANG SENG

    17.079,51
    -143,32 (-0,83%)
     
  • NIKKEI

    26.992,21
    +776,42 (+2,96%)
     
  • NASDAQ

    11.636,25
    +350,50 (+3,11%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1427
    +0,0688 (+1,36%)
     

Celular cresce como principal plataforma do público gamer no Brasil

Metade do público gamer do Brasil já declarou que o smartphone é a sua principal plataforma de jogos, segundo a Pesquisa Game Brasil (PGB) deste ano. Esse dado se torna ainda mais relevante, se analisarmos que 74,5% dos brasileiros são jogadores e que, de 2021 para cá, houve um aumento de 2,5 pontos percentuais, o maior resultado entre as nove edições anuais da pesquisa. Essa ascensão do smartphone vem acompanhada pela maior oferta e variedade de jogos gratuitos e pelo acesso facilitado de jogos digitais.

As perspectivas não param por aí: além do número de jogadores continuar crescendo no mundo todo, essa nova geração está ainda mais engajada e dedica um tempo maior para jogar. Em contraponto, acompanhamos o movimento de desaceleração das vendas do setor de games, uma vez que o entretenimento teve um boom após a pandemia, e os desafios do cenário econômico foram primordiais na escolha seletiva em gastar o dinheiro com jogos ou equipamentos eletrônicos.

Ainda segundo o levantamento da PGB, 78,2% usam o sistema operacional Android, e toda essa nova dinâmica do mercado incentivou as indústrias a investir e aprimorar as specs para a jogatina. No passado, o segmento de jogos em plataformas móveis movimentou 52% de todo o faturamento do setor, um aumento de 7,3% em relação a 2021, de acordo com relatório da NewZoo.

Muitos dos famosos e populares jogos de PC já ganharam versão mobile, considerados mais democráticos e acessíveis. Com boa taxa de atualização e processadores poderosos já presentes em diversos modelos do mercado, desde as linhas intermediárias, é possível ter uma experiência única em jogos. No estilo Battle Royale, por exemplo, a precisão de mira é maior, e o áudio identifica melhor os inimigos.

Mas, claro que para passar horas jogando em um smartphone, é preciso que o aparelho também entregue autonomia e robustez de bateria além da compatibilidade com dispositivos de carregamento rápido.

Não posso deixar de mencionar que o advento do 4G já trouxe tantas revoluções em tão pouco tempo, que nem imaginávamos poder acompanhar, por exemplo, um motorista ou delivery de aplicativo em tempo real. E agora, com o 5G, teremos cada vez mais gráficos apurados, e uma variedade maior de jogos online e de realidade virtual, já que a tecnologia permite menor latência e maior velocidade de conexão.

A expectativa é que as pessoas continuem jogando em qualquer lugar, e cada vez mais conectadas. Os celulares vão evoluir para atender mais a esse público, e essas mudanças serão positivas também para a população em geral, não apenas para os gamers. De certa forma, os jogos no celular acabam pautando a indústria de inovação.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: