Mercado fechado

Celso de Mello antecipa aposentadoria e deixará o STF em 13 de outubro

Isadora Peron e Luísa Martins
·1 minuto de leitura

Saída do decano do cargo abre a primeira vaga no Supremo para a indicação do presidente Jair Bolsonaro O ministro Celso de Mello, decano do Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu antecipar sua aposentadoria para o dia 13 de outubro. Ele completará 75 anos em 1º de novembro, data máxima para deixar a Corte. Ele, que estava de licença médica desde o dia 19 de agosto, voltou ao Tribunal nesta sexta-feira e encaminhou o pedido à Presidência da República. A saída do decano do cargo abre a primeira vaga no STF para a indicação do presidente Jair Bolsonaro. A decisão de antecipar em algumas semanas sua saída acontece em meio a um momento de incerteza em relação ao inquérito que investiga a suposta interferência de Bolsonaro na Polícia Federal (PF). Como relator original do caso, ele pode derrubar a decisão do ministro Marco Aurélio Mello de enviar o caso a plenário virtual para decidir como o presidente deve prestar o seu depoimento. O julgamento do caso está previsto para começar em 2 de outubro. Marco Aurélio, no entanto, antecipou o seu voto, defendendo que Bolsonaro poderia depor por escrito. Celso de Mello, porém, já havia se manifestado contra. Para ele, o presidente tem que depor presencialmente, já que não era uma mera testemunha do caso, mas sim um dos investigados. Um ministro do STF afirmou que o decano deve pedir para que o caso seja levado à discussão no plenário físico, onde os ministros se reúnem para debater o caso. Nos bastidores, integrantes da Corte se mostravam divididos e preocupados em desautorizar o decano, às vésperas de ele deixar o cargo. O ministro Celso de Mello completará 75 anos em 1º de novembro SCO/STF