Mercado fechará em 1 h 13 min
  • BOVESPA

    109.621,78
    -518,86 (-0,47%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    53.929,20
    +54,29 (+0,10%)
     
  • PETROLEO CRU

    74,09
    -1,79 (-2,36%)
     
  • OURO

    1.877,60
    -53,20 (-2,76%)
     
  • BTC-USD

    23.642,38
    -239,91 (-1,00%)
     
  • CMC Crypto 200

    541,03
    +4,18 (+0,78%)
     
  • S&P500

    4.174,23
    -5,53 (-0,13%)
     
  • DOW JONES

    34.143,30
    +89,36 (+0,26%)
     
  • FTSE

    7.901,80
    +81,64 (+1,04%)
     
  • HANG SENG

    21.660,47
    -297,89 (-1,36%)
     
  • NIKKEI

    27.509,46
    +107,41 (+0,39%)
     
  • NASDAQ

    12.833,25
    -13,50 (-0,11%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5499
    +0,0602 (+1,10%)
     

Inflação de 2022 teve cebola disparando 130% e gasolina caindo 25,8%

Cebola foi a grande vilã da inflação
Cebola foi a grande vilã da inflação

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - Em 2022, o brasileiro gastou mais para comer e menos para encher o tanque do carro. É o que sinalizam os dados da inflação do IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) divulgados nesta terça-feira (10) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Entre os 377 subitens (bens e serviços) que compõem o indicador oficial de inflação do país, as maiores altas de preços vieram de parte dos alimentos.

A cebola teve a variação mais intensa no acumulado de 2022. O produto disparou 130,14%. Segundo o IBGE, o avanço pode ser associado a uma combinação de fatores.

Redução da área plantada, aumento dos custos de produção e clima adverso estão entre eles.

Inhame (62,96%), maçã (52,03%), batata-inglesa (51,92%) e alimento infantil (42,14%) vieram na sequência das maiores altas do IPCA.

O ano de 2022 foi marcado pelo clima adverso no país, com registros de seca e chuvas intensas em regiões produtoras de alimentos.

A Guerra da Ucrânia gerou pressão adicional. O conflito elevou os custos de produção e as cotações de commodities agrícolas no mercado internacional.

A outra ponta da lista, a das maiores baixas do IPCA, foi ocupada pela gasolina. No acumulado de 2022, o produto caiu 25,78%.

O IBGE destacou que os preços da gasolina recuaram de forma mais expressiva entre os meses de julho e setembro, em decorrência dos cortes nas refinarias e da lei que limitou a cobrança do ICMS (imposto estadual) sobre os combustíveis.

O etanol veio na sequência das maiores baixas do IPCA, com recuo de 25,42% no ano.

A energia elétrica residencial acumulou queda de 19,01% em 2022, a terceira mais intensa do índice. A conta de luz também foi afetada pela redução de ICMS.

MAIORES ALTAS DO IPCA EM 2022, EM %

Cebola — 130,14

Inhame — 62,96

Maç㠗 52,03

Batata-inglesa — 51,92

Alimento infantil — 42,14

Farinha de mandioca — 38,56

Tangerina — 36,28

Leite condensado — 35,75

Milho em grão — 35,24

Melão — 34,84

MAIORES QUEDAS DO IPCA EM 2022, EM %

Gasolina — -25,78

Etanol — -25,42

Energia elétrica residencial — -19,01

Abacate — -12,36

Acesso à internet — -12,09

Videogame (console) — -11,47

Filé-mignon — -10,72

Abobrinha — -10,55

Carne de carneiro — -10,32

Aluguel de veículo — -10,24