Causas da crise do euro continuam, diz Weidmann

A zona do euro ainda enfrenta problemas apesar do alívio em relação à crise, disse o presidente do banco central da Alemanha (Bundesbank), Jens Weidmann, em entrevista ao jornal Frankfurter Allgemeine Zeitung, que será publicada no domingo. "As causas (da crise) ainda não foram solucionadas", disse Weidmann, que também é integrante do conselho do Banco Central Europeu (BCE). O alívio em relação à crise será um problema se políticos esperam que os bancos centrais regularizem a situação, afirmou o executivo à publicação.

Segundo Weidmann, o programa de compra de bônus do BCE não representa um ponto de mudança para o euro. Ele também expressou suas reservas quanto a isso, dizendo que o sistema do euro deve evitar qualquer medida que se assemelhe ao financiamento pelo Estado. No início deste ano, o BCE revelou um programa que permitiria a compra potencial de um volume ilimitado de títulos da dívida de governos se os países pedissem ajuda. "Temo riscos relacionados à estabilidade e vejo perigo em misturar políticas fiscal e monetária", disse.

Para ele, as taxas baixas de inflação podem mudar rapidamente quando a economia se reaquecer. Weidmann considera ainda "extremamente perigosa" qualquer discussão se uma taxa maior é aceitável. Além disso, o executivo negou que pensa em renunciar devido à divergência de opinião com o presidente do BCE, Mario Draghi. As informações são da Dow Jones.

Carregando...