Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.035,17
    -2.220,83 (-1,98%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.592,91
    +282,61 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,66
    -1,87 (-2,94%)
     
  • OURO

    1.733,00
    -42,40 (-2,39%)
     
  • BTC-USD

    44.200,79
    -3.051,99 (-6,46%)
     
  • CMC Crypto 200

    912,88
    -20,25 (-2,17%)
     
  • S&P500

    3.811,15
    -18,19 (-0,48%)
     
  • DOW JONES

    30.932,37
    -469,63 (-1,50%)
     
  • FTSE

    6.483,43
    -168,53 (-2,53%)
     
  • HANG SENG

    28.980,21
    -1.093,99 (-3,64%)
     
  • NIKKEI

    28.966,01
    -1.202,29 (-3,99%)
     
  • NASDAQ

    12.905,75
    +74,00 (+0,58%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7636
    +0,0247 (+0,37%)
     

Catálogo reúne quase 15 mil tempestades de poeira registradas em Marte

Danielle Cassita
·2 minuto de leitura

Em um novo estudo, os astrônomos Michael Battalio e Huiqun Wang, do Center for Astrophysics de Harvard, utilizaram imagens das sondas Mars Global Surveyor e Mars Reconnaissance Orbiter para criar a Mars Dust Activity Database (MDAD). Essa é uma grande base de dados que tem os registros das tempestades de poeira que ocorreram durante oito anos marcianos, que permitiu que eles analisassem algumas das características destes fenômenos no Planeta Vermelho.

As tempestades de poeira costumam ocorrer na segunda metade do ano de Marte, e são uma das características mais típicas da atmosfera de lá. Elas podem ir desde os chamados “demônios de poeira”, que são tempestades violentas em menor escala, até grandes eventos globais, e são capazes de impactar o clima do planeta. Assim, para que uma tempestade fosse qualificada para entrar no conjunto de dados, era necessário que cobrisse mais de 100 mil quilômetros quadrados de área e fosse visível por mais de um dia marciano (os dias por lá são um pouco mais longos que os da Terra, porque duram 24 horas e 39 minutos).

A imagem da esquerda mostra Marte, enquanto a da direita mostra uma tempestade global de poeira cobrindo o planeta (Imagem: Reprodução/NASA)
A imagem da esquerda mostra Marte, enquanto a da direita mostra uma tempestade global de poeira cobrindo o planeta (Imagem: Reprodução/NASA)

Eles analisaram quase 15 mil tempestades e identificaram fenômenos chamados de “sequências de tempestades de areia”, que se caracterizam por tempestades semelhantes que seguem uma mesma trajetória por mais de três dias. Foram contabilizadas 228 sequências de tempestades do tipo, que podem ser agrupadas de acordo com a quantidade e as dimensões dos “membros” que a formam.

Além disso, os cientistas encontraram 43 sequências delas com extensão que vai além de 10 milhões de quilômetros quadrados, chamadas de "sequências maiores". Essas tempestades são responsáveis por afetar de forma significativa tanto a estrutura térmica quanto a circulação da atmosfera do planeta. Tais fenômenos ocorrem em períodos mais curtos do que as outras sequências, e são formadas por tempestades que, sozinhas, são maiores e mais persistentes que as demais que foram analisadas.

O catálogo MDAD é o mais abrangente já produzido sobre as atividades destas tempestades de poeira, e será um recurso importantíssimo para futuros modelos da atmosfera de Marte e planejamento de missões com destino ao planeta — principalmente para as etapas de entrada, descida e pouso delas. Assim, com a criação desta base de dados, outros pesquisadores vão poder acessar as informações e, desta forma, traçar novas conclusões sobre nosso vizinho.

O artigo com os resultados do estudo foi publicado na revista Icarus.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: