Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.575,47
    +348,47 (+0,32%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    41.674,30
    -738,20 (-1,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    45,52
    -0,19 (-0,42%)
     
  • OURO

    1.783,10
    -22,40 (-1,24%)
     
  • BTC-USD

    18.093,60
    +325,55 (+1,83%)
     
  • CMC Crypto 200

    333,27
    -37,24 (-10,05%)
     
  • S&P500

    3.638,35
    +8,70 (+0,24%)
     
  • DOW JONES

    29.910,37
    +37,87 (+0,13%)
     
  • FTSE

    6.367,58
    +4,65 (+0,07%)
     
  • HANG SENG

    26.894,68
    +75,28 (+0,28%)
     
  • NIKKEI

    26.644,71
    +107,41 (+0,40%)
     
  • NASDAQ

    12.273,25
    +121,00 (+1,00%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3924
    +0,0525 (+0,83%)
     

CORREÇÃO-Ibitu, da Castlelake, prevê investir até R$5 bi em energia renovável no Brasil em 5 anos

·1 minuto de leitura
.
.

(Esclarece no título e no 1º parágrafo que o investimento será feito pela Ibitu, não pela Castlelake)

SÃO PAULO (Reuters ) - A Ibitu Energia, detida pela gestora de recursos Castlelake, tem planos de investir entre 4 bilhões e 5 bilhões de reais em energias renováveis no Brasil nos próximos cinco anos, informou a empresa nesta quarta-feira.

O anúncio foi feito após a gestora norte-americana ter fechado a aquisição da unidade de geração da construtora Queiroz Galvão no país.

Por meio da Ibitu Energia, a Castlelake passou a operar uma carteira de empreendimentos locais que soma 832 megawatts em capacidade.

A objetivo da Ibitu Energia é dobrar a capacidade instalada nos próximos cinco anos, disse o presidente da companhia, Gustavo Ribeiro.

"Estamos avaliando todas as possibilidades para sustentar nossa expansão e trabalhamos, simultaneamente, na estabilização da companhia nos aspectos operacionais, organizacionais e financeiros", afirmou ele, em nota.

O executivo acrescentou que a expansão poderia se dar tanto com investimento em novos projetos (greenfield) quanto por meio da aquisição de ativos existentes (brownfield).

A empresa também informou que está em estudo o desenvolvimento de novos projetos de geração eólica, solar ou híbrida (combinando ambas as fontes) que totalizariam mais de 1,2 gigawatts.

Além do negócio com a Queiroz Galvão, a gestora americana Castlelake já havia investido no Brasil por meio da Vientos Energy, que comprou dois projetos solares.

(Por Luciano Costa)