Mercado fechará em 1 h 11 min
  • BOVESPA

    128.708,18
    +650,96 (+0,51%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.429,00
    +226,20 (+0,45%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,64
    +0,60 (+0,84%)
     
  • OURO

    1.770,00
    -4,80 (-0,27%)
     
  • BTC-USD

    35.604,28
    -2.227,69 (-5,89%)
     
  • CMC Crypto 200

    879,67
    -60,27 (-6,41%)
     
  • S&P500

    4.176,83
    -45,03 (-1,07%)
     
  • DOW JONES

    33.376,54
    -446,91 (-1,32%)
     
  • FTSE

    7.017,47
    -135,96 (-1,90%)
     
  • HANG SENG

    28.801,27
    +242,68 (+0,85%)
     
  • NIKKEI

    28.964,08
    -54,25 (-0,19%)
     
  • NASDAQ

    14.103,00
    -62,50 (-0,44%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0090
    +0,0465 (+0,78%)
     

Castelo de Drácula oferece vacinas contra a covid-19

·1 minuto de leitura
Campanha de vacinação no Castelo de Bran, local da história de Drácula

Os visitantes do imponente Castelo de Bran, uma fonte de inspiração para a história do Drácula, puderam ser vacinados contra a covid-19 como parte da campanha de vacinação lançada neste fim de semana na Romênia.

"Vim visitar o castelo com a minha família e quando vi o cartaz, fiquei encorajado e aceitei receber a injeção", disse o engenheiro Liviu Necula, de 39 anos.

Os que aceitam ser vacinados no castelo recebem um certificado destacando a sua "coragem e responsabilidade", com a promessa de que poderão retornar "nos próximos 100 anos", assim como uma visita gratuita à "câmara de tortura".

O Castelo de Bran, localizado em um vale enevoado nos montes Cárpatos, é frequentemente associado ao príncipe romeno do século XV, Vlad Tepes, conhecido como "o empalador", embora nunca tenha vivido lá.

O irlandês Bram Stoker, autor de Drácula, inspirou-se em Vlad e nas descrições do Castelo de Bran quando escreveu seu romance de 1897, que ajudou a fundar o gênero moderno da literatura de vampiros

O governo romeno lançou campanhas de vacinação e "maratonas" de 24 horas em locais públicos, como a Biblioteca Nacional de Bucareste, para imunizar o maior número possível de pessoas.

"Esses centros são para todos que desejam se vacinar sem ter que marcar uma consulta online", afirmou Beatrice Mahler, diretora do hospital Marius Nasta, à AFP.

Quase 3,6 milhões de romenos, de uma população de 19 milhões, receberam ao menos uma dose da vacina anticovid, e as autoridades esperam chegar a cinco milhões até junho.

ii-mr/ia/tgb/mas/zm/bn

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos