Mercado fechará em 5 h 19 min
  • BOVESPA

    109.441,21
    +327,05 (+0,30%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.031,61
    +223,05 (+0,50%)
     
  • PETROLEO CRU

    78,97
    +2,26 (+2,95%)
     
  • OURO

    1.642,90
    +9,50 (+0,58%)
     
  • BTC-USD

    20.190,88
    +989,18 (+5,15%)
     
  • CMC Crypto 200

    461,43
    +2,29 (+0,50%)
     
  • S&P500

    3.691,73
    +36,69 (+1,00%)
     
  • DOW JONES

    29.498,75
    +237,94 (+0,81%)
     
  • FTSE

    7.028,99
    +8,04 (+0,11%)
     
  • HANG SENG

    17.860,31
    +5,17 (+0,03%)
     
  • NIKKEI

    26.571,87
    +140,32 (+0,53%)
     
  • NASDAQ

    11.459,00
    +142,75 (+1,26%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1423
    -0,0371 (-0,72%)
     

Casos de puberdade precoce em meninas aumentaram durante a pandemia

A pandemia teve diversos impactos na população, e um deles foi o aumento dos casos de puberdade precoce em garotas. A afirmação vem de um estudo apresentado na 60ª Reunião Anual da Sociedade Europeia de Endocrinologia Pediátrica, em Roma.

Para chegar à descoberta, os pesquisadores expuseram roedores a um espectro de luz predominantemente emitido por telas de LED. "Descobrimos que a exposição à luz azul, suficiente para alterar os níveis de melatonina, também é capaz de alterar os níveis de hormônios reprodutivos e causar o início mais precoce da puberdade", afirmam os autores.

A puberdade precoce para as meninas é definida como sinais de características sexuais secundárias que surgem antes dos oito anos. É difícil dizer com certeza quantas meninas isso abrange, pois as medidas sobre a prevalência da condição variam consideravelmente em todo o mundo.

As razões para o aumento precoce de hormônios também são um mistério. Deixando de lado as formas de câncer ou outros distúrbios do sistema nervoso, uma boa proporção é idiopática, o que significa que não há uma causa definida.

Uma possibilidade, conforme apontam os especialistas, é o notável aumento no uso de dispositivos inteligentes (ou melhor, no tempo gasto em exposição à luz azul emitida por nossos telefones e tablets todos os dias).

Casos de puberdade precoce aumentaram durante a pandemia (Imagem: twenty20photos/envato)
Casos de puberdade precoce aumentaram durante a pandemia (Imagem: twenty20photos/envato)

Os responsáveis pelo estudo reiteram que a inibição da melatonina em um momento crucial do nosso desenvolvimento também pode dizer ao corpo que é hora de aumentar os hormônios que preparam o corpo para a puberdade, teoria que se reforçou com os experimentos feito com as ratinhas.

Isso não significa que outros fatores também não possam desempenhar um papel importante. A biologia da puberdade é incrivelmente complexa, deixando muito espaço para uma ampla variedade de influências. De qualquer forma, os especialistas já estão concentrados no alerta.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: