Mercado abrirá em 8 h 29 min
  • BOVESPA

    112.611,65
    +1.322,47 (+1,19%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.466,02
    -571,03 (-1,12%)
     
  • PETROLEO CRU

    87,03
    +0,42 (+0,48%)
     
  • OURO

    1.797,60
    +4,50 (+0,25%)
     
  • BTC-USD

    37.258,67
    +1.065,57 (+2,94%)
     
  • CMC Crypto 200

    844,15
    +24,64 (+3,01%)
     
  • S&P500

    4.326,51
    -23,42 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    34.160,78
    -7,31 (-0,02%)
     
  • FTSE

    7.554,31
    +84,53 (+1,13%)
     
  • HANG SENG

    23.640,47
    -166,53 (-0,70%)
     
  • NIKKEI

    26.720,06
    +549,76 (+2,10%)
     
  • NASDAQ

    14.156,25
    +169,50 (+1,21%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0295
    +0,0055 (+0,09%)
     

Casos detectados de HIV no Brasil caíram 25% em 2020

·2 min de leitura

BRASÍLIA — O número de casos detectados de HIV no Brasil caiu 25% no ano passado, em relação a 2019. Foram 32.701 registros de novos casos, contra 43.312 no ano anterior. Os dados foram divulgados pelo Ministério da Saúde nesta quarta-feira, data em que é celebrado o Dia Mundial de Luta contra a Aids.

Em relação aos casos de Aids, doenças causada pelo HIV, também houve uma redução, mas de 20%: de 37.731 novos casos em 2019 para 29.917 no ano passado. Os dois dados não podem ser somados, porque podem ser suplicados. Nem todo portador do HIV desenvolve a Aids.

De acordo com o Gerson Fernando Mendes Pereira, diretor do Departamento de Doenças de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis do ministério, a queda era esperada devido à pandemia de Covid-19.

— Essa redução, se a gente pegar todas as outras doenças que a gente trabalha, a gente teve uma redução esperada, por conta dessa questão relacionada à pandemia — explicou Pereira, em apresentação realizada no ministério.

O diretor ressalta, no entanto, que a pasta fez um esforço "sobrehumano" para garantir o diagnóstico e tratamento dos casos de Aids durante a pandemia. Medidas foram tomadas para evitar que as pessoas fossem nas unidades de saúde sem necessidade, como o aumento do prazo de prescrição de remédios, de 30 para 90 dias, e a distribuição de autotestes.

De acordo com Pereira, houve um aumento de 30,3% na detecção de HIV em gestantes. O diretor considerou esse dado positivo, já que o diagnóstico é importante para evitar a transmissão vertical, quando a mãe para o vírus para o bebê, durante a gestação.

— A gente aumentou a taxa de detecção de HIV em gestantes. Aí vocês me perguntam: isso é bom ou ruim? É claro que é bom, porque eu prefiro saber e tratar essas mulheres, e evitar a transmissão vertical, do que eu não saber e só saber na hora do parto.

No mesmo evento, foi lançada uma campanha de prevenção contra o HIV, direcionada para os jovens, com o lema "prevenir é sempre a melhor escolha".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos