Mercado fechado

Casos de coronavírus no Brasil sobem para 34, diz Ministério da Saúde

Rafael Bitencourt

Ao todo, 8 Estados já registram a confirmação de casos O Ministério da Saúde informou hoje que os casos confirmados de infecção pelo novo coronavírus (covid-19) subiram de 25 para 34, desde o último balanço realizado na tarde de ontem.

O Estado de São Paulo continua liderando a lista de Estados com a presença da doença confirmada, onde foi registrado o aumento de 16 para 19 pacientes com o novo coronavírus. Ao todo, 8 Estados já registram a confirmação de casos. Hoje, o Rio Grande do Sul entrou para lista, com o primeiro caso confirmado da doença.

Além de São Paulo, Rio de Janeiro (8) e Rio Grande do Sul, os Estados com registro de caso confirmado do novo coronavírus são: BA (2), AL (1) DF (1), MG (1) e ES (1).

A atualização dos dados foi feita na plataforma do governo na internet. De acordo com o Ministério da Saúde, o número de pacientes infectados no Rio de Janeiro subiu de 3 para 8.

O número de pessoas com a suspeita da doença caiu no Brasil, 930 para 893 casos. Já os pacientes que tiveram a infecção pela doença descartada, após a exame laboratorial, aumentou de 685 para 780.

Transmissão local

O secretário-executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo dos Reis, informou que dos nove casos confirmados desde ontem, dois foram de transmissão local — ou seja, infecção por contato direto, e ficam no Estado de São Paulo.

Os outros sete pacientes se enquadram no critério de casos “importados”, relacionado a pessoas que viajaram para país com disseminação do vírus.

Sem dar detalhes, Gabbardo disse que, dos 34 pacientes infectados no Brasil, cinco estão internados. Entre eles, está o caso da paciente do Distrito Federal em situação grave.

Testes

O Ministério da Saúde decidiu obrigar pessoas com suspeita de ter contraído coronavírus a fazer o teste laboratorial e cumprir quarentena mesmo se recusarem a seguir o procedimento recomendados pelo sistema de saúde. Gabbardo disse que a medida será incluída na portaria que regulamentará a quarentena e isolamento domiciliar, prometida pelo ministro da pasta, Luiz Henrique Mandetta.

“O direito individual não pode se sobrepor ao direito coletivo”, afirmou o secretário. Ele explicou que, se a pessoa tiver infectada pela doença, o sistema de saúde precisa saber, independentemente da vontade dela.

A declaração de Gabbardo foi dada ao ser questionado sobre a decisão do Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJ-DF) de obrigar o companheiro de uma mulher diagnosticada com coronavírus a fazer o teste para a doença e cumprir quarentena, sob pena de R$ 5 mil em multa por descumprimento. De acordo com a decisão, ele deve ficar isolado até a divulgação dos resultados do teste.

Gabbardo foi taxativo em dizer que a “decisão judicial está absolutamente correta”.

Rio

No Rio, a Secretaria Estadual de Saúde reafirmou os números do ministério e informou que há 119 casos suspeitos no Estado.

Do total de casos confirmados, seis são na capital do Rio; um em Barra Mansa, sul fluminense; e um em Niterói, região metropolitana do Rio.

“Reforço que, até o momento, continuamos sem transmissão ativa do vírus no Rio de Janeiro. Os casos confirmados até agora são importados do exterior. Permanecemos no Nível Zero do nosso plano de contingência. Alerto a população para os cuidados para prevenir o contágio, como higienizar as mãos com frequência e evitar levá-las ao rosto”, informou, no comunicado, Edmar Santos, secretário de Estado de Saúde.

O secretário detalhou ainda que técnicos da secretaria permanecem a analisar o comportamento do vírus no Hemisfério Sul, como grau de transmissibilidade e letalidade.

(Colaborou Alessandra Saraiva, do Rio )

Audrey McAvoy/AP