Mercado fechará em 6 h 10 min
  • BOVESPA

    125.935,02
    +1.322,99 (+1,06%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.959,61
    +49,08 (+0,10%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,04
    +0,39 (+0,54%)
     
  • OURO

    1.794,20
    -5,60 (-0,31%)
     
  • BTC-USD

    39.490,98
    +879,89 (+2,28%)
     
  • CMC Crypto 200

    925,34
    -4,59 (-0,49%)
     
  • S&P500

    4.394,84
    -6,62 (-0,15%)
     
  • DOW JONES

    35.042,15
    -16,37 (-0,05%)
     
  • FTSE

    7.014,66
    +18,58 (+0,27%)
     
  • HANG SENG

    25.473,88
    +387,45 (+1,54%)
     
  • NIKKEI

    27.581,66
    -388,56 (-1,39%)
     
  • NASDAQ

    14.920,25
    -27,50 (-0,18%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0623
    -0,0461 (-0,75%)
     

Caso Fort Detrick: China cobra investigação em "laboratório secreto" dos EUA

·2 minuto de leitura

Nesta quinta-feira (22), a Embaixada da China no Brasil cobrou, publicamente, os Estados Unidos sobre os supostos segredos que podem estar escondidos no laboratório bioquímico de Fort Detrick, localizado no estado norte-americano de Maryland. O centro de estudos é conhecido oficialmente como Instituto de Pesquisa das Doenças Infecciosas do Exército dos EUA.

De acordo com a embaixada chinesa, "o Fort Detrick permanece envolto em segredos" que merecem ser esclarecidos. Segundo a denúncia, o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos EUA solicitou que o laboratório Fort Detrick interrompesse a maior parte de sua pesquisa. Em seguida, "surtos inexplicáveis ​​de doenças respiratórias apareceram no norte [do estado] da Virgínia e a EVALI estourou em Wisconsin".

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Vale lembrar que EVALI é o nome que a lesão pulmonar associada ao uso de vapes recebeu oficialmente. A condição que afeta as vias respiratórias pode ser identificada principalmente por seus sintomas e pelos hábitos dos indivíduos, já que a maioria é usuária dos cigarros eletrônicos.

Além dos dois casos de doenças supostamente misteriosas, as autoridades chinesas afirmam, nas redes sociais, que "comunidades de aposentados perto da base [Fort Detrick] experimentaram surtos de pneumonia inexplicáveis".

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Investigação sobre as origens do coronavírus

China denuncia laboratório biológico dos EUA (Imagem: Reprodução/Wirestock/Freepik)
China denuncia laboratório biológico dos EUA (Imagem: Reprodução/Wirestock/Freepik)

Nesta manhã (22), a China rejeitou publicamente os planos da Organização Mundial da Saúde (OMS) em iniciar uma segunda fase de estudo sobre origens da COVID-19. O anúncio foi feito por uma autoridade de saúde do país asiático. Isso porque o inquérito sobre o coronavírus SARS-CoV-2 deve investigar a possibilidade de um vazamento do vírus de um laboratório.

Nas últimas semanas, um número crescente de cientistas e as autoridades dos Estados Unidos questionam os resultados da primeira pesquisa. O próprio presidente dos EUA, Joe Biden, solicitou que as agências nacionais de inteligência analisassem os motivos que desencadearam a pandemia da COVID-19. No entanto, não há evidências concretas sobre a teoria.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos