Mercado abrirá em 1 h 12 min
  • BOVESPA

    110.249,73
    +1.405,98 (+1,29%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.828,13
    +270,48 (+0,53%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,57
    +1,08 (+1,53%)
     
  • OURO

    1.774,30
    -3,90 (-0,22%)
     
  • BTC-USD

    41.943,07
    -1.470,60 (-3,39%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.043,62
    -20,23 (-1,90%)
     
  • S&P500

    4.354,19
    -3,54 (-0,08%)
     
  • DOW JONES

    33.919,84
    -50,63 (-0,15%)
     
  • FTSE

    7.069,25
    +88,27 (+1,26%)
     
  • HANG SENG

    24.221,54
    +122,40 (+0,51%)
     
  • NIKKEI

    29.639,40
    -200,31 (-0,67%)
     
  • NASDAQ

    15.065,25
    +41,25 (+0,27%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1803
    +0,0012 (+0,02%)
     

Justiça dos EUA avalia que Apple não é monopólio, mas deve facilitar a concorrência

·3 minuto de leitura
Segundo a decisão, a Apple não pode mais obrigar os desenvolvedores de aplicativos a usarem seu sistema de pagamentos (AFP/Chris DELMAS)

Uma juíza dos Estados Unidos deu um revés importante para a Apple sobre pagamentos móveis, mas isentou a companhia de acusações de monopólio, uma boa notícia para a gigante da tecnologia, acusada de infringir o direito à livre concorrência.

Segundo a decisão, a Apple não pode mais obrigar os desenvolvedores de aplicativos a usarem seu sistema de pagamentos, uma questão central no litígio com a Epic Games que pode ter implicações de grande alcance no setor.

A juíza Yvonne Gonzalez Rogers avaliou, ao contrário, que a fabricante do iPhone não exerce um monopólio ilegal, como afirma a editora do famoso videogame Fortnite, que anunciou sua intenção de apelar da decisão.

"A Apple não exerce um monopólio no mercado de transações em jogos de celulares", considerou a juíza Yvonne Gonzalez Rogers.

No entanto, "a conduta da Apple é anticompetitiva" quando a gigante californiana impede que os desenvolvedores levem os consumidores aos seus próprios sites e meios de pagamento", acrescentou.

A Epic Games apresentou seu caso com o objetivo de romper o controle da Apple em sua App Store, no mais recente golpe ao império controlado pela fabricante do iPhone.

As duas empresas se enfrentaram em se a Apple tinha o direito de estabelecer regras básicas, controlar os sistemas de pagamentos e expulsar de seu site de vendas os aplicativos que não atenderem a essas normas.

Também foi questionada a parcela de receita da Apple pelos aplicativos oferecidos pelo iPhone, que chega a 30%.

“O Tribunal determinou que a Apple tem uma participação de mercado considerável, superior a 55%, e margens de lucro extraordinariamente altas, mas esses fatores não são suficientes para provar uma violação do direito à concorrência. O sucesso não é ilegal”, argumentou a juíza.

A Apple removeu o Fortnite de sua App Store depois que a Epic Games lançou uma atualização do jogo que evitava a distribuição de receita com a fabricante do iPhone, que não permite que os usuários de seus smartphones baixem aplicativos de outra loja que não seja a sua.

O caso, levado a um tribunal federal, chegou em um momento em que a Apple sofre pressões de vários fabricantes de aplicativos pelo seu controle da App Store que, segundo os críticos, representa um comportamento monopolista.

A Epic Games, como muitos pequenos e grandes criadores de aplicativos, acusa a Apple de abusar de sua posição dominante cobrando taxas excessivamente altas e impondo sua App Store como um mecanismo obrigatório para os consumidores baixarem aplicativos.

"A Apple 'venceu' por não ser considerada um monopólio, mas a Epic 'ganhou' o direito de direcionar os jogadores para a Epic Store como meio alternativo de pagamento. No final: a Epic venceu", comentou no Twitter Michael Pachter, analista da consultoria Wedbush.

Tim Sweeney, presidente da Epic, não comemorou e prometeu "continuar lutando" pela "competição justa" entre métodos de pagamento no aplicativo e lojas de apps.

A Apple, por sua vez, saudou a decisão em relação à questão do monopólio, em um momento que processos judiciais por abuso de posição dominante se multiplicam contra o Google ou o Facebook por autoridades americanas e europeias.

A Apple disse que ainda não decidiu se vai ou não apelar da decisão do tribunal.

jm/ec/ad/rsr-yow/aa/mvv/ap

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos