Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.113,93
    +412,93 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.726,98
    +212,88 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    62,87
    -0,26 (-0,41%)
     
  • OURO

    1.777,90
    -2,30 (-0,13%)
     
  • BTC-USD

    57.100,41
    -3.321,47 (-5,50%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.294,07
    -97,64 (-7,02%)
     
  • S&P500

    4.185,47
    +15,05 (+0,36%)
     
  • DOW JONES

    34.200,67
    +164,67 (+0,48%)
     
  • FTSE

    7.019,53
    +36,03 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    29.293,39
    +323,68 (+1,12%)
     
  • NIKKEI

    29.742,12
    +58,75 (+0,20%)
     
  • NASDAQ

    14.030,50
    +1,00 (+0,01%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6691
    -0,0170 (-0,25%)
     

Caso contra Beckenbauer prescreveu, diz comitê de ética da Fifa

Simon Evans
·1 minuto de leitura
Franz Beckenbauer durante apresentação sobre a Copa do Mundo de 2006

Por Simon Evans

MANCHESTER (Reuters) - O comitê de ética da Fifa disse que não pode processar Franz Beckenbauer, campeão mundial com a seleção da Alemanha como técnico e jogador, e duas outras autoridades do futebol da Alemanha porque o caso de suposto suborno prescreveu.

Em 2016, a câmara investigativa da Fifa concluiu que Beckenbauer, Theo Zwanziger e Horst Schmidt violaram as regras de suborno e corrupção da entidade durante a bem-sucedida campanha alemã para obter o direito de sediar a Copa do Mundo de 2006. Os três homens negam irregularidades.

A Fifa disse que os crimes tiveram "relação com o pagamento de 10 milhões de francos suíços feito pelo, ou em nome do, Comitê Organizador (OC) ao senhor Mohamed bin Hammam em 2002. Este pagamento estava ligado à aprovação de uma contribuição financeira de 250 milhões de francos suíços e paga pela Fifa ao OC entre 2002 e 2006".

O comitê de ética da Fifa disse que os casos não podem mais ser tratados por terem atingido a data de prescrição.

"O período de limitação relevante havia vencido em 2012 para a conduta do senhor Beckenbauer e em 2015 para a conduta do senhor Zwanziger e do senhor Schmidt, o que implicou que sua conduta não pode mais ser processada, de acordo com o artigo 12 (do código de ética da Fifa)", disse o comitê.

Em 2016, a Fifa impôs um alerta e uma multa de 7 mil francos suíços a Beckenbauer por ele não cooperar com a investigação relacionada às campanhas dos Mundiais de 2018/2022.