Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.061,99
    -871,79 (-0,72%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.600,05
    +71,08 (+0,15%)
     
  • PETROLEO CRU

    62,15
    -0,52 (-0,83%)
     
  • OURO

    1.794,10
    +15,70 (+0,88%)
     
  • BTC-USD

    56.231,43
    +51,21 (+0,09%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.293,08
    +30,12 (+2,38%)
     
  • S&P500

    4.149,85
    +14,91 (+0,36%)
     
  • DOW JONES

    33.998,26
    +176,96 (+0,52%)
     
  • FTSE

    6.907,95
    +48,08 (+0,70%)
     
  • HANG SENG

    28.621,92
    -513,81 (-1,76%)
     
  • NIKKEI

    28.508,55
    -591,83 (-2,03%)
     
  • NASDAQ

    13.798,50
    +4,25 (+0,03%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6928
    -0,0097 (-0,14%)
     

Casio anuncia o primeiro G-Shock com sistema operacional Wear OS

Diego Sousa
·2 minuto de leitura

A Casio anunciou nesta quinta-feira (1º) na Europa o primeiro G-Shock com sistema operacional Wear OS do Google. O GSW-H1000, modelo pertencente à linha robusta G-Squad Pro da empresa, traz a popular resistência dos relógios da família, além de diversas funcionalidades inteligentes de monitoramento de atividades e localização.

Principais características

Por fora, o GSW-H1000 não difere muito dos outros relógios G-Shock: o visual é robusto e traz titânio, uretano e borracha em sua composição para proteger o dispositivo contra quedas — segundo a empresa, o lançamento ainda é resistente à água até 200 metros de profundidade. Já a tela segue em formato circular e tem duas camadas de 1,2 polegada de tamanho cada, com resolução de 360 por 360 pixels.

As duas camadas trazem tecnologia LCD, mas uma é monocromática e permite que o relógio exiba informações mais simples a todo tempo, enquanto a principal é colorido, responsável por mostrar outros recursos do relógio, como mapa, dados do sensor e informações de atividades. A empresa garanta que o G-Shock tem GPS integrado e consegue exibir mapas mesmo offline, o que pode ajudar a economizar bateria.

(Imagem: Divulgação/Casio)
(Imagem: Divulgação/Casio)

Como praticamente todo relógio inteligente, o GSW-H1000 é equipado com uma série de sensores, incluindo um sensor óptico para medição de frequência cardíaca, sensor magnético para bússola, sensor de pressão para registrar a pressão do ar, acelerômetro e girômetro. Aliado ao GPS integrado, o produto é capaz de registrar dados como rota percorrida, distância e velocidade.

Por falar em dados de exercícios, o G-Shock suporte 15 modos de esporte e 24 opções de atividades internas, como corrida e bicicleta de estrada. Graças ao Wear OS, o usuário também tem a disposição uma variedade de aplicativos e serviços idealizados do Google e da Play Store, como o Google Assistente e o Google Fit. Além disso, é possível atender chamadas e acessar mensagens, notificações, previsão do tempo e outras informações através da telinha no pulso.

(Imagem: Divulgação/Casio)
(Imagem: Divulgação/Casio)

Com relação à bateria, a Casio garante aproximadamente um dia e meio de uso no modo normal, isto é, com o display colorido, o que é considerado muito abaixo da média de outros relógios disponíveis no mercado. No entanto, a autonomia pode subir para quase um mês no modo mais básico, mostrando apenas os sensores e informações mais simples.

Preço e disponibilidade

O G-Squad Pro GSW-H1000 será comercializado nas cores preto, vermelho e azul, e estará à venda a partir de meados de maio. Seu preço sugerido será de salgados US$ 700 nos Estados Unidos, o equivalente a R$ 3,9 mil em conversão direta para a nossa moeda, e 600 libras no Reino Unido (R$ 4,7 mil). Não há previsão de lançamento no mercado brasileiro.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: