Mercado fechado
  • BOVESPA

    125.052,78
    -1.093,88 (-0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.268,45
    +27,94 (+0,06%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,17
    +0,26 (+0,36%)
     
  • OURO

    1.802,10
    -3,30 (-0,18%)
     
  • BTC-USD

    33.880,08
    +1.423,59 (+4,39%)
     
  • CMC Crypto 200

    786,33
    -7,40 (-0,93%)
     
  • S&P500

    4.411,79
    +44,31 (+1,01%)
     
  • DOW JONES

    35.061,55
    +238,20 (+0,68%)
     
  • FTSE

    7.027,58
    +59,28 (+0,85%)
     
  • HANG SENG

    27.321,98
    -401,86 (-1,45%)
     
  • NIKKEI

    27.548,00
    +159,80 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.091,25
    +162,75 (+1,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1216
    +0,0014 (+0,02%)
     

Casal faz sucesso na internet ‘caçando’ iguarias gastronômicas e dá dicas para não se meter em roubada no Dia dos Namorados

·2 minuto de leitura

Dia dos Namorados. Um restaurante novo. Um vinhozinho. Aquela comida de saltar aos olhos. Uma fila imensa. Barulhos da mesa ao lado. Fumaça da pedra de picanha... O que era para ser um momento romântico pode virar uma crise e fazer qualquer casal desistir da comemoração. Paulo Fragoso e Juliana Venâncio sabem disso. Com uma pegada cheia de humor, os dois cariocas fazem sucesso na internet “caçando” iguarias gastronômicas e as avaliando, e já viram muitos outros casais se darem mal nessa aventura que é sair de casa nessa data.

“A nossa dica para fazer o Dia dos Namorados feliz é: antecipe-se. No dia fica tudo cheio, uma bagunça e na hora fica superdifícil de se resolver. Aproveite que vai cair no sábado e comece a comemoração fazendo uma coisa mais tranquila, mais dentro de casa e estenda as comemorações no domingo, pois a pior coisa é ficar em fila de restaurante e motel esperando vagar mesa ou quarto”, ensina Juliana.

os dois contam que além dos perrengues ineretentes às datas comemorativas, sempre tem alguém que tenta impressionar seu par e bota tudo a perder, transformando o encontro numa roubada. “Quando a pessoa tenta impressionar ou pede alguma coisa coisa muito chique, pouca comida ou alguma coisa sem sabor e caro”, diz ela. “Não adianta ser bonito, chique e elegante e a gente continuar com a feijoada na cabeça, e no final das contas todo mundo sai com fome ao invés de sair feliz. Então, tem que comer o que tiver vontade”, sugere Paulo.

Os dois juram que na hora de comer são bem unidos e dificilmente discutem suas avaliações. “A gente não diverge muito, não, somos bem parecidos no paladar, gostamos de quase tudo. Não consigo nem lembrar de alguma coisa que a gente não coma no momento... Acho que a única coisa que a Juliana não come é escargot, que fomos experimentar”, entrega Paulo. Juliana tem sua justificativa na ponta da língua: “É que chega uma hora que você olha para a pizza e olha para o escargot. Tem que se decidir entre ser chique ou satisfazer o seu desejo e, claro, fui comer pizza!”

O canal Caçadores começou com a ideia que os dois tiveram numa viagem aos EUA: “Estávamos de férias pela Califórnia, Nevada e Arizona e comíamos hambúrgueres todo dia”, conta Paulo: “Numa parte da viagem, de Las Vegas para Yosemite, passando pelo Vale da Morte, a estrada passou por uma tempestade de areia. Juliana comentou que estava parecendo aqueles programas de TV de caçadores de tornados. Disse que estávamos mais para caçadores de hambúrgueres, e foi aí que o nome surgiu”.

Os dois avaliam criteriosamente tudo o que comem, desde a apresentação do prato ao sabor. O que lhes rendeu 1 milhão de inscritos no Youtube e 400 mil seguidores no Instagram. Na pandemia, Paulo e Juliana passaram a fazer análise dos restaurantes via delivery e drive thru do Rio de Janeiro.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos