Mercado abrirá em 8 h 20 min

Ela começou a vender bolos caseiros em uma sala e hoje tem mais de 300 lojas

Vó Sônia e os filhos Eduardo, Rafael, Fabrício e Daniel (Foto: Divulgação)

Por Melissa Santos

Sônia Maria Napoleão Ramos sempre adorou reunir a família para comer bolos simples, saídos quentinhos do forno. O grande sucesso de vó Sônia, como é conhecida na família, foi transformar a venda desses bolos em um negócio de sucesso: A Casa do Bolo.

No começo, ela fazia bolos para casamentos e aniversários, com o intuito de compor a renda familiar e ajudar nas despesas de casa. Mas a ideia começou a virar negócio quando um de seus filhos, Rafael, foi desligado do emprego. Eles resolveram, juntos, começar a vender bolos no centro da cidade.

Leia também

"Começamos em 2009. Ele sugeriu alugar uma sala no centro de Ribeirão Preto (SP) para vender os bolos que eu fazia. Preparávamos de noite e, logo cedo, pegávamos duas conduções para ir até o local. Ficava cuidando da loja, enquanto ele saía pelas redondezas para promover degustações e entregar cartões de visita. Na época, era uma necessidade, mas hoje, analisando nossa trajetória, vejo que sempre houve uma veia empreendedora na nossa família", conta Sônia.

No fim do dia, Sônia relembra que a dupla voltava para casa com as travessas sujas e preparados para fazer mais uma rodada de bolos. “No primeiro dia de produção, fizemos 21 bolos. Foram alguns meses nessa rotina, até percebermos que a demanda era alta e o nosso negócio, que começou na simplicidade e necessidade, tinha muito potencial para crescer”, conta.

Sônia relembra que, no início, como todo negócio, alguns chegaram a desconfiar do potencial do bolo caseiro e da possibilidade de produção em grande escala. “Já foi, também, em algum momento, um desafio manter em nossos bolos a mesma qualidade e carinho do feito em casa – algo que felizmente, temos conseguido realizar com bastante êxito”, conta.

Na época, era uma necessidade, mas hoje, analisando nossa trajetória, vejo que sempre houve uma veia empreendedora na nossa família

Já logo nos primeiros meses, os bolos começaram a acabar antes mesmo do horário de fechamento da loja, o que fez com que Sônia precisasse aumentar a produção para atender a demanda, mesmo que de forma gradativa.

Na época, ainda não existiam outras lojas de bolos caseiros com sabores variados. Em 2009, a família juntou todas as economias e pediu dinheiro emprestado para expandir com modelo de franquia. Dois anos depois, em 2011, as primeiras lojas franqueadas finalmente abriram, ainda na região de Ribeirão Preto.

“Hoje somos mais de 350 lojas espalhadas pelo Brasil, com cerca de 220 franqueados e em torno de 5.000 colaboradores indiretos, em 16 Estados brasileiros”, fala.

Segundo Sônia, o sucesso do negócio tem a ver com a importância de um bolo simples, caseiro, tem de reunir todos em volta da mesa, além de remeter a boas lembranças. "Era um hábito da minha família sentar na mesa para comer os meus bolos. Fazia a alegria á de casa. Era aquele momento que tínhamos para conversar e dar risada em família ", conta.

Hoje, a gestão do negócio é compartilhada com os quatro filhos: Rafael, Eduardo, Daniel e Fabricio. Mas são as receitas de Sônia que continuam se espalhando pelo Brasil.

Atualmente, ela colhe os frutos do sucesso. A Casa de Bolos entrou na lista das 50 maiores redes de franquias da ABF (Associação Brasileira de Franchising). Para se tornar um franqueado, há três modelos disponíveis: quiosque; loja standard - formato mais procurado para município maiores; e loja Fit, as duas últimas exigindo investimento que varia entre R$ 125 mil e R$ 150 mil, incluindo taxa de franquia, implantação e estoque inicial.