Mercado abrirá em 5 h 46 min
  • BOVESPA

    106.419,53
    -2.295,02 (-2,11%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.206,59
    +372,79 (+0,72%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,85
    -0,80 (-0,95%)
     
  • OURO

    1.788,00
    -5,40 (-0,30%)
     
  • BTC-USD

    60.808,30
    -1.486,98 (-2,39%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.481,14
    -24,01 (-1,60%)
     
  • S&P500

    4.574,79
    +8,31 (+0,18%)
     
  • DOW JONES

    35.756,88
    +15,73 (+0,04%)
     
  • FTSE

    7.277,62
    +54,80 (+0,76%)
     
  • HANG SENG

    25.624,22
    -414,05 (-1,59%)
     
  • NIKKEI

    29.072,29
    -33,72 (-0,12%)
     
  • NASDAQ

    15.565,25
    +20,25 (+0,13%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4582
    +0,0041 (+0,06%)
     

Casa Branca mantém apelo para Opep+ "fazer mais" por preços do petróleo

·2 minuto de leitura
Logo da Opep em ilustração

WASHINGTON (Reuters) - A Casa Branca mantém seus apelos para que os países produtores de petróleo "façam mais" para apoiar a recuperação econômica global, disse uma autoridade nesta segunda-feira, à medida que os preços do petróleo atingem picos de diversos anos.

Um funcionário disse que o governo estava monitorando de perto o custo do petróleo e da gasolina e "usando todas as ferramentas à nossa disposição para enfrentar as práticas anticompetitivas nos mercados de energia dos Estados Unidos e globais para garantir mercados de energia confiáveis e estáveis".

Isso levantou preocupação de alto nível com vários membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo e seus aliados, conhecidos como Opep+, de acordo com o funcionário.

A marca de referência Brent está em um nível não visto desde 2018, enquanto os preços do petróleo dos EUA tocaram máximas não atingidas desde 2014, devido a uma combinação de fatores. A demanda mundial se recuperou mais rápido do que o previsto, e os altos preços do gás natural estão estimulando algumas nações a trocar a geração de energia do gás para petróleo.

Enquanto isso, a Opep+ manteve limites de oferta desde o início da pandemia. Em certo momento, cortou mais de 10 milhões de barris diários do mercado devido à fraca demanda. Em julho, a organização concordou em aumentar a produção em 400.000 barris por dia (bpd) para eliminar os cortes contínuos de 5,8 milhões de bpd.

O grupo produtor, liderado pela Arábia Saudita, está atento aos surtos subsequentes de coronavírus, minando a demanda e também atento às finanças dos membros, que se beneficiam dos preços mais altos.

A produção de petróleo dos EUA, que atingiu um pico próximo a 13 milhões de bpd no final de 2019, permanece muito abaixo desse nível, embora a demanda diária de combustível tenha se recuperado para os níveis pré-pandêmicos.

(Reportagem de Trevor Hunnicutt)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos