Mercado fechado
  • BOVESPA

    129.441,03
    -634,97 (-0,49%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.286,46
    +400,16 (+0,79%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,78
    -0,13 (-0,18%)
     
  • OURO

    1.879,50
    -0,10 (-0,01%)
     
  • BTC-USD

    38.982,12
    +2.947,61 (+8,18%)
     
  • CMC Crypto 200

    924,19
    -17,62 (-1,87%)
     
  • S&P500

    4.247,44
    +8,26 (+0,19%)
     
  • DOW JONES

    34.479,60
    +13,40 (+0,04%)
     
  • FTSE

    7.134,06
    +45,88 (+0,65%)
     
  • HANG SENG

    28.842,13
    +103,23 (+0,36%)
     
  • NIKKEI

    28.948,73
    -9,87 (-0,03%)
     
  • NASDAQ

    13.992,75
    -1,50 (-0,01%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1918
    +0,0383 (+0,62%)
     

Casa Branca diz que Biden decidiu sobre quebra de patente e nega divisão dentro do governo

·1 minuto de leitura
Biden visita Louisiana

Por Trevor Hunnicutt

A BORDO DO AIR FORCE ONE (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, tomou a decisão de apoiar uma proposta de quebra de patente de vacinas contra Covid-19, comunicou a Casa Branca nesta quinta-feira, negando que autoridades do governo estejam divididas a respeito do tema.

"Ele tomou esta decisão", disse a secretária de imprensa adjunta da Casa Branca, Karine Jean-Pierre, aos repórteres a bordo do Air Force One. Ela afirmou que o tema foi debatido entre autoridades do governo, com a contribuição de especialistas, antes de opções serem apresentadas ao presidente, que tomou a decisão final.

Indagada se a secretária de Comércio, Gina Raimondo, e outras autoridades se opuseram à medida, muito criticada pelas farmacêuticas dos EUA, Jean-Pierre respondeu: "Não houve divisão nesta decisão".

Biden, cada vez mais pressionado por parlamentares democratas e mais de 100 países, reverteu na quarta-feira a posição norte-americana anterior e deu seu apoio à negociação de quebra de algumas proteções na Organização Mundial do Comércio (OMC) a direitos de propriedade intelectual para ajudar os países mais pobres a combaterem a pandemia.

Jean-Pierre observou que Biden apoiou tal medida como candidato na eleição presidencial de 2020 e que a vê como uma questão humanitária importante.

"Precisamos liderar nesta questão e ajudar a salvar vidas", disse ela, acrescentando que aplicar uma quebra de patente exigirá tempo porque envolve um processo de negociação na OMC.