Mercado fechado
  • BOVESPA

    101.259,75
    -658,25 (-0,65%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    38.707,72
    +55,52 (+0,14%)
     
  • PETROLEO CRU

    39,78
    -0,07 (-0,18%)
     
  • OURO

    1.903,40
    -1,80 (-0,09%)
     
  • BTC-USD

    13.016,60
    -0,93 (-0,01%)
     
  • CMC Crypto 200

    260,05
    -1,40 (-0,54%)
     
  • S&P500

    3.465,39
    +11,90 (+0,34%)
     
  • DOW JONES

    28.335,57
    -28,13 (-0,10%)
     
  • FTSE

    5.860,28
    +74,63 (+1,29%)
     
  • HANG SENG

    24.918,78
    +132,68 (+0,54%)
     
  • NIKKEI

    23.516,59
    +42,29 (+0,18%)
     
  • NASDAQ

    11.669,25
    +5,75 (+0,05%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6630
    +0,0529 (+0,80%)
     

Casa Branca defende estímulo provisório para economia enquanto negociações continuam

·1 minuto de leitura

WASHINGTON (Reuters) - O secretário do Tesouro dos Estados Unidos, Steve Mnuchin, e o chefe de gabinete da Casa Branca, Mark Meadows, defenderam neste domingo que o Congresso do país aprove um projeto de lei com medidas de estímulo à economia pressionada pelo coronavírus que terá recursos remanescentes de um programa de pagamento de salários, enquanto as negociações sobre um pacote mais abrangente continuam.

Na carta aos membros da Câmara e do Senado, Mnuchin e Meadows disseram que a Casa Branca continuará a conversar com o líder democrata do Senado Chuck Schumer e a presidente da Câmara, Nancy Pelosi, mas que o Congresso deveria "votar imediatamente um projeto de lei" para permitir o uso dos recursos do programa enquanto trabalha em um pacote maior

“A abordagem do tudo ou nada é uma resposta inaceitável para o povo americano”, escreveram eles.

Pelo menos 20 republicanos do Senado disseram se opor a um plano da Casa Branca que envolve estímulo de 1,8 trilhão de dólares e que foi enviado para Pelosi.

(Por Valerie Volcovici)