Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.282,67
    -781,69 (-0,69%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.105,71
    -358,56 (-0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,95
    +0,65 (+0,89%)
     
  • OURO

    1.750,60
    +0,80 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    42.928,36
    -1.762,83 (-3,94%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.067,20
    -35,86 (-3,25%)
     
  • S&P500

    4.455,48
    +6,50 (+0,15%)
     
  • DOW JONES

    34.798,00
    +33,18 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.051,48
    -26,87 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    24.192,16
    -318,82 (-1,30%)
     
  • NIKKEI

    30.248,81
    +609,41 (+2,06%)
     
  • NASDAQ

    15.319,00
    +15,50 (+0,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2556
    +0,0306 (+0,49%)
     

Carvão e coque recuam em Dalian; minério de ferro registra ganhos na semana

·1 minuto de leitura

Por Enrico Dela Cruz

(Reuters) - Os contratos futuros do carvão metalúrgico e do coque negociados na China recuaram nesta sexta-feira, afastando-se das máximas recordes atingidas na sessão anterior, mas ainda assim cravaram ganhos semanais de mais de 10%.

O carvão coque fechou em queda de 1,8% na bolsa de commodities de Dalian, a 2.523 iuanes (389,25 dólares) por tonelada, após um rali de sete sessões. Já o coque cedeu 2,8%, a 3.164,50 iuanes/tonelada, e interrompeu uma sequência de quatro dias de altas.

Apesar disso, os contratos mais ativos de ambos, para janeiro, avançaram no acumulado da semana --o carvão metalúrgico apurou ganho de 11,2%, enquanto o coque saltou 10,5%.

A retração desta sexta-feira ocorre após relatos de que autoridades chinesas vão monitorar de perto as atividades do mercado e punir especuladores.

"Os problemas de oferta de carvão coque na China e na Mongólia, assim como uma importante proibição ao carvão australiano, são os fatores que têm elevado os preços a níveis ridículos", disse Erik Hedborg, analista de minério de ferro da consultoria de commodities CRU.

O contrato janeiro do minério de ferro negociado em Dalian recuou 1,4% nesta sexta, para 840 iuanes/tonelada, mas acumulou valorização de 9,3% na semana, quebrando uma série de cinco semanas de perdas.

Já o minério de ferro para setembro na bolsa de Cingapura avançava 2,1%, a 156,46 dólares por tonelada.

(Reportagem de Enrico Dela Cruz, em Manila; reportagem adicional de Muyu Xu, em Pequim)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos