Mercado fechará em 2 h 51 min
  • BOVESPA

    101.568,73
    +1.016,29 (+1,01%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    38.444,11
    -225,14 (-0,58%)
     
  • PETROLEO CRU

    40,82
    +0,79 (+1,97%)
     
  • OURO

    1.901,20
    -28,30 (-1,47%)
     
  • BTC-USD

    12.951,22
    +1.894,21 (+17,13%)
     
  • CMC Crypto 200

    261,62
    +5,52 (+2,15%)
     
  • S&P500

    3.431,19
    -4,37 (-0,13%)
     
  • DOW JONES

    28.170,27
    -40,55 (-0,14%)
     
  • FTSE

    5.785,65
    +9,15 (+0,16%)
     
  • HANG SENG

    24.786,13
    +31,71 (+0,13%)
     
  • NIKKEI

    23.474,27
    -92,73 (-0,39%)
     
  • NASDAQ

    11.579,50
    -111,75 (-0,96%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5995
    -0,0505 (-0,76%)
     

Prejuízo de R$ 10 milhões: Operação identifica fraude em cartório no Paraná que simulava morte de criminosos

·1 minuto de leitura
Suspeitos tinham carros importados e moravam em condomínios de luxo, segundo a Polícia Civil -  Foto: Divulgação/Polícia Civil
Suspeitos tinham carros importados e moravam em condomínios de luxo, segundo a Polícia Civil - Foto: Divulgação/Polícia Civil

Cinco pessoas foram presos em uma operação da Polícia Civil que apura um esquema de fraudes em um cartório, na região oeste do Paraná, nesta quinta-feira (01). O órgão avalia que as ilegalidades causaram prejuízos de mais de R$ 10 milhões a dezenas de vítimas. As informações são do G1.

Quatros dos presos são funcionários de cartórios e um é dono de uma revendedora de carros. Nove mandados de busca e apreensão também foram cumpridos durante a ação da Polícia nesta quinta.

Leia também:

Utilizando-se de documentos falsos, os suspeitos realizavam transferências de veículos e imóveis. O que chamou a atenção dos investigadores é que os envolvidos simulavam a morte de criminosos para extinguir a punibilidade em processos criminais, além de cometer o crime de lavagem de dinheiro.

Para ocultar os valores e lavar dinheiro, os investigados, segundo o G1, possuíam uma garagem de veículos para venda e uma casa de carnes nobres.

Três dos suspeitos que atuavam no cartório acabaram afastados por decisão judiciais ainda de acordo com os responsáveis pela operação.

"O padrão de vida que essas pessoas ostentavam era bem superior a renda que a princípio teriam auferido no cartório, em torno de R$ 2 mil. Então, as investigações continuam, os fatos estão sendo apurados e após a conclusão, o retorno das perícias nesses aparelhos é que será concluído o inquérito", disse o delegado Rogerson Ribas Salgado ao G1.

Os golpes eram praticados em diversas regiões do Paraná e até em Santa Catarina, segundo as investigações.