Mercado fechado

Cartilha de segurança digital ajuda brasileiros contra fraudes e golpes online

·3 min de leitura

O Comitê de Antifraude da Câmara Brasileira da Economia Digital (camara-e.net) acaba de lançar a "Cartilha de Segurança para o Consumidor Digital", que descreve novos golpes da internet, traz dicas para evitar e se proteger deles e dá orientações sobre o que precisa ser feito caso o consumidor tenha sido vítima de uma fraude online.

Segundo Gerson Rolim, consultor do Comitê de Antifraude, os bandidos aproveitaram a pandemia para criar novos golpes, como o do perfil falso do WhatsApp, e repaginar alguns antigos, como o da falsa central telefônica. "Durante a pandemia, seis em cada 10 usuários de internet sofreram alguma fraude financeira no Brasil, segundo pesquisa da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas realizada em parceria com o SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito) e Sebrae (Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas). Foram cerca de 16,7 milhões de brasileiros prejudicados por golpes virtuais."

Segundo Rolim, os golpes atingiram consumidores de todas as classes sociais, idades, gênero e nível de escolaridade. O executivo também afirmou que os fraudadores dos golpes vistos tem uma grande capacidade de adaptação, e que, com a aproximação da Black Friday e do Natal, a tendência é que o número de crimes desse tipo só aumente.

Golpes presentes na cartilha

<em>Imagem: Divulgação/Camara-e.net </em>
Imagem: Divulgação/Camara-e.net

Para Beatriz Soares, diretora de Produto e Operações da OLX e coordenador do Comitê de Antifraude da câmara-e.net, a cartilha é um passo importante para educar a população sobre alguns perigos digitais:

Além dos investimentos em segurança feito pelas companhias, é cada vez mais essencial atuarmos na educação digital dos usuários, uma vez que muitos dos golpes ocorrem por engenharia social, ou seja, quando os golpistas utilizam de técnicas para enganar o usuário e conseguir as informações que precisam. Assim como adotamos atitudes seguras ao nos locomovermos nas ruas, devemos estar atentos também no ambiente virtual para termos uma melhor e mais segura experiência na internet.

Com mais de 100 milhões de usuários no país, o WhatsApp é o alvo principal dos golpistas. A cartilha mostra como o aplicativo de mensagens está sendo usado para extorquir dinheiro dos contatos das vítimas, usando as facilidades dos meios de pagamento instantâneo, como Pix e WhatsApp Pay, além do uso de perfil falso no mensageiro ou mesmo a clonagem de contas. Ela também aborda o Roubo de Celulares, e os golpes de falsa vaga de emprego e falsa central de atendimento.

A cartilha também conta com dicas básicas de segurança e sites úteis que podem ajudar o consumidor a identificar se seus dados pessoais vazaram e estão sendo utilizados pelos bandidos para a aplicação de outros golpes. Disponibilizamos algumas delas a seguir:

  • Cuidado com as suas senhas: Não compartilhe suas senhas com amigos e parentes ou encaminhe-as por aplicativos de mensagens, e-mail ou SMS;

  • Use senhas fortes: Escolha uma formada por uma combinação de letras maiúsculas, minúsculas, números e caracteres especiais;

  • Use senhas diferentes: Não use a mesma senha para várias contas. Pode ser mais fácil de lembrar, mas também de fraudar;

  • Troque as senhas: Pelo menos a cada três meses, troque as senhas utilizadas nas suas contas de e-mail, aplicativos e lojas. Não use senhas antigas;

  • Cuidado com ligações: Se receber contato em nome do banco ou cartão de crédito para ligar na Central de Atendimento, no número atrás do cartão, ligue
    de outro aparelho. Assim você evita que o golpista desvie a ligação para uma falsa central de atendimento.

A cartilha pode ser baixada em formato PDF, aqui, ou assistida em vídeo, por este link.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos