Mercado fechará em 3 h 23 min

Cartão de crédito tem inadimplência maior entre os mais pobres

Cartão de crédito tem inadimplência maior entre os mais pobres
Cartão de crédito tem inadimplência maior entre os mais pobres
  • A inadimplência no cartão de crédito para as famílias que ganham até um salário mínimo chegou a 12,24%;

  • A taxa de juros cobrada em casos de atraso nas faturas de cartão estava em 364% em abril;

  • Essa é a maior marca registrada desde outubro de 2016.

Segundo o Banco Central, a taxa de juros cobrada em casos de atraso nas faturas de cartão estava em 364% em abril. A inadimplência no cartão de crédito para as famílias que ganham até um salário mínimo chegou a 12,24%, atingindo assim, a maior marca registrada desde outubro de 2016.

Para quem ganha até dois salários mínimos, a inadimplência registrada foi de 11,23%, número mais alto desde maio de 2020, início da pandemia.

Influenciado pelos juros mais em conta para o crédito consignado e o empréstimo pessoal, a taxa média que as pessoas físicas pagaram em abril estava em 50,3% ao ano. Para os brasileiros que optam por parcelar a fatura para evitar que ela fique em atraso, a taxa média cobrada foi de 175,1% ao ano.

Para Gaby Chaves, CEO da NoFront, o cartão de crédito é o meio mais acessível para os brasileiros que quiserem parcelar uma compra de valor alto ou mesmo esticar o salário até o fim do mês.

"Não são pessoas que usam cartão de crédito para ostentação, festa ou lazer. Elas utilizam cartão de crédito no supermercado, majoritariamente como uma forma de lidar inclusive com o efeito da inflação que corrói o poder de compra e afeta mais quem ganha menos", explicou.

Para corroborar com a fala da executiva, o uso do cartão de crédito vem aumentando neste ano. Em abril foram R$ 138,2 bilhões no cartão à vista, 41% a mais do que no mesmo mês de 2021. O crédito rotativo (quando o pagamento total da fatura não é realizado) teve concessão de R$ 27 bilhões em abril, alta de 58,25% na comparação com abril do ano passado.