Mercado fechado
  • BOVESPA

    100.763,60
    +2.091,34 (+2,12%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.294,83
    +553,33 (+1,16%)
     
  • PETROLEO CRU

    110,02
    +0,45 (+0,41%)
     
  • OURO

    1.823,10
    -1,70 (-0,09%)
     
  • BTC-USD

    20.820,47
    -317,29 (-1,50%)
     
  • CMC Crypto 200

    455,80
    -6,00 (-1,30%)
     
  • S&P500

    3.900,11
    -11,63 (-0,30%)
     
  • DOW JONES

    31.438,26
    -62,42 (-0,20%)
     
  • FTSE

    7.258,32
    +49,51 (+0,69%)
     
  • HANG SENG

    22.229,52
    +510,46 (+2,35%)
     
  • NIKKEI

    26.871,27
    +379,30 (+1,43%)
     
  • NASDAQ

    12.063,00
    +22,50 (+0,19%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5281
    -0,0243 (-0,44%)
     

Cartões do Auxílio Brasil devem ser confeccionados em até 15 dias

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Os cartões com a logomarca do Auxílio Brasil devem ficar prontos em no máximo 15 dias, diz o senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ).

Coordenador da campanha à reeleição do presidente Jair Bolsonaro (PL), ele critica a demora na substituição do instrumento de saque que, até hoje, traz o nome do Bolsa Família, programa criado ainda na gestão petista.

Essa é uma das medidas previstas para ajudar a impulsionar o presidente nas pesquisas de intenção de voto.

O último Datafolha revelou que a parcela de eleitores que pretendem votar no ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no pleito de outubro é maior entre quem recebe o programa, sucessor do Bolsa Família. Cerca de um quarto do eleitorado de Lula recebe o benefício, ante 16% entre os que declaram voto no presidente.

Na avaliação de Flávio, no entanto, os índices de apoio ao presidente entre quem recebe o benefício estão subindo nos últimos três meses, e há expectativa de melhorarem, do ponto de vista da campanha bolsonarista, ainda mais até as eleições.

"Em 10 a 15 dias vai começar a resolver. Quando troca o programa, troca o cartão, como é com plano de saúde", diz.

O plano é frisar as diferenças entre um programa e outro. Além do valor, de R$ 400, outra mudança é a manutenção do beneficiário mesmo que ele arrume um emprego, durante um período de estabilização.

"Na campanha, o presidente vai ter a oportunidade de explicar para as pessoas quem aumentou o benefício de R$ 75 para R$ 400", afirmou o senador .

Técnicos envolvidos na solução da questão afirmam que as conversas seguem com a Caixa Econômica Federal para operacionalizar e bancar os novos cartões.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos