Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.880,82
    +1.174,91 (+0,97%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.219,26
    +389,95 (+0,80%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,51
    +1,69 (+2,65%)
     
  • OURO

    1.844,00
    +20,00 (+1,10%)
     
  • BTC-USD

    48.139,36
    -2.339,42 (-4,63%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.398,33
    +39,77 (+2,93%)
     
  • S&P500

    4.173,85
    +61,35 (+1,49%)
     
  • DOW JONES

    34.382,13
    +360,68 (+1,06%)
     
  • FTSE

    7.043,61
    +80,28 (+1,15%)
     
  • HANG SENG

    28.027,57
    +308,90 (+1,11%)
     
  • NIKKEI

    28.084,47
    +636,46 (+2,32%)
     
  • NASDAQ

    13.398,00
    +297,75 (+2,27%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4040
    -0,0085 (-0,13%)
     

Cartórios paulistas registram menos mortes de idosos por covid-19

Elaine Patricia Cruz – Repórter da Agência Brasil
·4 minuto de leitura

Os cartórios do estado de São Paulo começaram a registrar, no mês de março e agora em abril, queda no número de mortes de idosos por covid-19, principalmente nas faixas etárias já incluídas na campanha de vacinação. No entanto, houve aumento de óbitos de pessoas mais jovens, entre 20 e 59 anos. Os dados foram apresentados pela Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais do Estado de São Paulo (Arpen/SP).

Dados do Portal da Transparência do Registro Civil mostraram redução de até 70% no registro de óbitos de pessoas entre 90 e 99 anos, o primeiro grupo de idosos imunizado, com vacinação iniciada no dia 8 de fevereiro. Essa faixa etária representava, em média, 7,1% do total de mortos pela covid-19 desde o início da pandemia. Em março deste ano, já com os primeiros reflexos da vacinação, as pessoas dessa idade passaram a representar 3% dos óbitos e, nos primeiros dias de abril, 2,1% do total registrado no estado de São Paulo.

Na faixa de 80 a 89 anos, o número de mortes registradas caiu 54%. Esse grupo de idosos, que correspondia a uma média de 20,6% sobre o total de mortos no ano passado, passou a representar 14,5% em março deste ano e 9,5% em abril. A vacinação desse grupo começou no dia 12 de fevereiro.

Entre os idosos de 70 a 79 anos, que receberam a primeira dose de vacina somente no início de março e podem ainda estar aguardando o intervalo para a segunda a redução na taxa de óbitos ainda é pequena, em torno de 3%. Esse grupo, que representava cerca de 25,6% do total de óbitos no ano passado, passou a representar 24,8% em abril deste ano.

"A queda no número de óbitos da população com mais idade anuncia a importância da vacinação no estado, assim como a necessidade de tomar a segunda dose", disse a presidente da Arpen/SP, Daniela Silva Mroz, em nota.

O Portal da Transparência do Registro Civil tem base de dados abastecida em tempo registros de nascimentos, casamentos e óbitos feitos pelos cartórios de todo o país.

Mais jovens

Se, no início da pandemia, o grupo de pessoas com idade entre 60 e 89 anos, era o daquelas que proporcionalmente mais vinham a óbito por causa do novo coronavírus em São Paulo, o quadro começou a mudar em fevereiro deste ano, quando os casos de covid-19 cresceram exponencialmente no país e sr iniciou a vacinação de idosos.

A faixa de pessoas entre 40 e 49 anos foi a mais afetada pelo aumento no número de falecimentos causados pela nova fase da pandemia. Até janeiro deste ano, essa faixa etária representava 5,4% do total de óbitos causados pela doença. Em fevereiro, o percentual estava em 6,7% e, desde então, só cresceu: em março, pessoas entre 40 e 49 anos correspondiam a 9,92% do total de óbitos por covid-19 e, nos primeiros dias de abril, a 10,5%das mortes pela doença no estado.

Também muito afetada na segunda onda da doença, a população com idade entre 50 e 59 anos representava, em média, 12,3% do total de mortes pela covid-19 no primeiro ano completo da pandemia. Em fevereiro, correspondia a 13,4%; em março, a 16,69%, e, nos primeiros dias de abril, a 18,8% do total de mortos, um aumento de 53% no número de óbitos pela doença.

Já os óbitos de pessoas com idade entre 20 e 29 anos, que representavam 0,8% dos falecimentos por covid-19 em março, em abril, passaram para 1,2% dos óbitos, o que significou crescimento de 40% no número de mortes.

Os óbitos de pessoas entre 30 e 39 anos correspondiam a 3% do total das mortes, mas em abril, passaram para 5%, um crescimento de 69%.

Começando agora a entrar no calendário de vacinação nos municípios paulistas, a população entre 60 e 69 anos continua muito afetada pela pandemia. Até março de 2020, ocorreram nesta faixa etária, em média, 23% dos óbitos por covid-19 em São Paulo. O percentual vem subindo nos últimos meses, passando para 25,4% em março deste ano e para 27,4% na primeira quinzena de abril, o que representa aumento de 19% nos óbitos causados pela doença.