Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.523,47
    -1.617,17 (-1,47%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    54.049,05
    +174,14 (+0,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,23
    -2,65 (-3,49%)
     
  • OURO

    1.865,90
    -50,40 (-2,63%)
     
  • BTC-USD

    23.334,18
    -70,85 (-0,30%)
     
  • CMC Crypto 200

    535,42
    -1,43 (-0,27%)
     
  • S&P500

    4.136,48
    -43,28 (-1,04%)
     
  • DOW JONES

    33.926,01
    -127,93 (-0,38%)
     
  • FTSE

    7.901,80
    +81,64 (+1,04%)
     
  • HANG SENG

    21.660,47
    -297,89 (-1,36%)
     
  • NIKKEI

    27.509,46
    +107,41 (+0,39%)
     
  • NASDAQ

    12.616,50
    -230,25 (-1,79%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5385
    +0,0488 (+0,89%)
     

Carro autônomo é uma das 5 tendências em mobilidade para 2023

Os carros autônomos vêm sendo desenvolvidos há muito tempo por empresas como Tesla, Waymo, Baidu, Honda e Volvo. Alguns deles até já estão rodando por cidades da China e dos Estados Unidos em robotáxis sem motorista. O iminente crescimento do setor, embora ainda lento, o colocou como uma das 5 tendências em mobilidade urbana para 2023.

A constatação foi feita por Alécio Cavalcante, co-CEO da Ubiz Car, startup voltada para mobilidade urbana, a partir dos resultados de um estudo da consultoria inglesa Ernst & Young. Os números projetam que os carros autônomos representarão 75% do total de veículos vendidos no mundo em 2030.

“Já são muitas as marcas que investem no desenvolvimento de carros que não necessariamente precisam de um motorista, e essa é uma forte tendência para o futuro”, avisou Cavalcante. “Mesmo que não tenhamos uma frota relevante de veículos autônomos no ano que vem, vamos ouvir falar muito desse assunto e suas consequências a partir de agora”, completou o executivo.

Carro autônomo da Baidu já rodou bastante em testes (Imagem: Divulgação/ Baidu)
Carro autônomo da Baidu já rodou bastante em testes (Imagem: Divulgação/ Baidu)

À reportagem do Canaltech, o co-CEO da startup de mobilidade alertou, porém, que a automação completa dos carros não é algo tangível tão cedo, principalmente por conta dos preços fora da realidade da maior parte da população.

"Existem diversos níveis de carros autônomos. Quando falamos dos modelos com funções mais básicas, como virar o volante e aceleração, já é possível encontrar alguns modelos no mercado, entretanto, a automação total não está próxima da realidade no Brasil, principalmente pelo alto custo dos modelos".

Alécio Cavalcante elencou um outro ponto do setor automotivo como forte tendência em mobilidade urbana para 2023 e nos próximos anos. Segundo o executivo, os jovens no Brasil estão cada vez menos interessados em ter o próprio carro, optando por aplicativos de viagem para se locomover.

Parceria entre Uber e Motional reúne app de mobilidade com carro autônomo em um só mundo (Imagem: Divulgação/Motional)
Parceria entre Uber e Motional reúne app de mobilidade com carro autônomo em um só mundo (Imagem: Divulgação/Motional)

“As gerações que estão em sua juventude agora já não querem tanto o carro próprio, seja por causa dos custos com gasolina, seguro, mecânico, como também pelas opções facilitadoras que existem hoje em dia, que seriam a grande gama de apps de mobilidade disponíveis”.

5 tendências em mobilidade urbana para 2023

Além das duas tendências ligadas diretamente ao segmento automotivo, o CEO da startup especialista em mobilidade urbana levantou mais três pontos que estarão em alta no setor em 2023.

Ele usou como base o relatório da Liga Insights Mobilidade, que projetou um crescimento de até 75% do mercado global de mobilidade até 2030, principalmente após a expansão do 5G para cidades com mais de 500 mil habitantes.

A lista completa de tendências indicadas pelo executivo da Ubiz Car é a seguinte:

  1. Pagamentos digitais: uso de QR Code em transporte público e pagamento via pix em viagens por aplicativos;

  2. Maior conectividade: ampliação do alcance do 5G tornando mais veloz comunicação entre motoristas e centrais de controle;

  3. Mais delivery: tendência que se enraizou após a pandemia e ampliou o leque de serviços oferecidos;

  4. Menos carros próprios: jovens cada vez menos interessados em possuir o próprio veículo e mais em apps de viagens;

  5. Mais veículos autônomos: cada vez mais marcas inseridas em um contexto que deve dominar o setor automotivo em 2030.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: