Mercado abrirá em 9 h 33 min

Carrefour planeja investimentos e corte de custos para enfrentar inflação

The logo of Carrefour is seen at a Carrefour Hypermarket store in Nice

Por Dominique Vidalon

PARIS (Reuters) - O Carrefour vai intensificar sua expansão no e-commerce, abrir mais lojas de desconto e cortar custos, como parte da nova estratégia do presidente Alexandre Bompard para acelerar a recuperação do maior varejista de alimentos da Europa em meio à inflação crescente.

O grupo francês, que também anunciou uma joint venture de mídia com a gigante da publicidade Publicis, disse nesta terça-feira que busca 4 bilhões de euros em economia de custos e um fluxo de caixa livre líquido de mais de 1,7 bilhão de euros em 2026.

"O Carrefour 2026 é um plano de aceleração e conquista", disse Bompard, presidente-executivo e presidente do conselho de administração do Carrefour, em evento da empresa com investidores.

O plano permitirá ao Carrefour "melhorar sua margem operacional e manter um crescimento sustentado do lucro operacional recorrente", acrescentou.

O Carrefour também poderá pagar um dividendo em dinheiro e aumentá-lo em pelo menos 5% ao ano, enquanto mantém uma política de recompra de ações iniciada em 2021 e aproveita oportunidades de aquisição de médio porte.

Por volta de 10:15 (horário de Brasília), as ações do Carrefour exibiam queda de 1,48%, a 16,32 euros cada.

EXPANSÃO DE LOJAS DE DESCONTO

Para ajudar os clientes a lidar com o aumento do custo de vida, o Carrefour prometeu aumentar a participação de produtos de marca própria nas vendas de alimentos para 40% em 2026, de 33% em 2022, e acelerar a expansão de lojas de desconto na França e no Brasil, seus principais mercados .

O Carrefour lançará sua primeira loja de atacarejo Atacadão na região de Paris no outono de 2023, disse Bompard.

Outras iniciativas incluem simplificar a oferta em seus hipermercados, reduzindo a gama de produtos em 20%.

Como resultado, o Carrefour disse que estava elevando sua meta de investimento anual para 2 bilhões de euros, ante 1,7 bilhão de euros anteriormente.

As economias de custos virão principalmente da simplificação da organização do grupo, da mutualização do suporte e das operações de compra na Europa, o que levará a reduções "significativas" de pessoal na sede do grupo, disse Bompard.

Quando perguntado se o Carrefour, que saiu dos mercados não lucrativos da China e Taiwan, estava planejando deixar mais países, Bompard disse: "nossa presença geográfica é a certa".

PANORAMA DESAFIADOR

Bompard, que assumiu o comando em julho de 2017, foi reconduzido em maio de 2021 por mais três anos.

Ele enfrenta o desafio de entregar a segunda etapa de transformação do grupo em um ambiente inflacionário agravado pela guerra na Ucrânia e sem os recursos financeiros extras que estariam disponíveis se duas transações planejadas no ano passado não tivessem fracassado - uma com a canadense Alimentation Couche-Tard e outra com a francesa Auchan.

O novo plano se baseia em projeções anunciadas em novembro de 2021 para triplicar as vendas sob a métrica GMV - valor total das mercadorias vendidas - no e-commerce, a 10 bilhões de euros em 2026, contribuindo com 200 milhões de euros extras para o lucro operacional recorrente em 2026 ante 2021.

A parceria com a Publicis será uma joint venture na qual o Carrefour terá 51% de participação, informou o grupo.

Nesta manhã, a unidade brasileira do Carrefour anunciou expansão no ritmo de abertura de lojas de atacarejos e estudos para separar sua unidade de ativos imobiliários.