Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.523,47
    -1.617,17 (-1,47%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    54.049,05
    +174,14 (+0,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,23
    -2,65 (-3,49%)
     
  • OURO

    1.877,70
    -53,10 (-2,75%)
     
  • BTC-USD

    23.361,02
    -79,67 (-0,34%)
     
  • CMC Crypto 200

    535,42
    -1,43 (-0,27%)
     
  • S&P500

    4.136,48
    -43,28 (-1,04%)
     
  • DOW JONES

    33.926,01
    -127,93 (-0,38%)
     
  • FTSE

    7.901,80
    +81,64 (+1,04%)
     
  • HANG SENG

    21.660,47
    -297,89 (-1,36%)
     
  • NIKKEI

    27.509,46
    +107,41 (+0,39%)
     
  • NASDAQ

    12.616,50
    -230,25 (-1,79%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5385
    +0,0488 (+0,89%)
     

Braço imobiliário do Carrefour instala caixas eletrônicos de bitcoin na Espanha

Parceria para pagamento em Bitcoin foi firmada com a Weex Capital
Parceria para pagamento em Bitcoin foi firmada com a Weex Capital

(Getty Images)

  • Braço do Carrefour instala caixas eletrônicos de Bitcoin

  • Unidades da Espanha contarão com a novidade, mas existe a chance de expandi-la para o Brasil

  • Clientes poderão comprar e vender criptoativos nas lojas da rede

Os clientes da Carmila (braço imobiliário) na Espanha agora contarão com caixas eletrônicos de Bitcoin. Por meio deles, será possível comprar e vender criptoativos nas unidades da rede e sem a necessidade de fazer os procedimentos “Conheça seu Cliente – KYC”.

Leia também:

O processo KYC é usado por bancos com o objetivo de checar qual a origem do patrimônio e recursos financeiros dos clientes, além de entender se as atividades que estão fazendo são coerentes com as movimentações que realizam.

A iniciativa da Carmila é feita em parceria com a Weex Capital, empresa provedora de caixas eletrônicos e criptomoedas. Apesar de estar disponível apenas na Espanha, não foi descartada a possibilidade de expandir a novidade para outros países, incluindo o Brasil.

Neste primeiro momento, as compras e vendas estão restritas ao valor de 990 euros, equivalentes, na conversão direta, a R$ 6.141.

Carrefour também adotou o blockchain

Esta não é a primeira vez que a varejista inova no quesito tecnologia. A rede foi uma das primeiras deste porte a adotar a tecnologia blockchain, usada nas criptomoedas, para rastrear seus produtos.

Com isso, o consumidor pôde analisar de onde vem os itens que compra – incluindo carne, leite e frutas – já que tem acesso a todo o caminho que percorrem, das fazendas às lojas. Isso permite, inclusive, que eles evitem produtos com pesticidas, antibióticos, entre outros.

No Brasil, o Carrefour ampliou seu sistema no ano passado para incluir frutas críticas. As informações são da Exame.