Mercado fechado
  • BOVESPA

    117.380,49
    -948,51 (-0,80%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.126,51
    +442,96 (+0,99%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,87
    +0,10 (+0,19%)
     
  • OURO

    1.856,00
    +0,80 (+0,04%)
     
  • BTC-USD

    32.418,99
    -1.028,26 (-3,07%)
     
  • CMC Crypto 200

    653,79
    -23,11 (-3,41%)
     
  • S&P500

    3.855,36
    +13,89 (+0,36%)
     
  • DOW JONES

    30.960,00
    -36,98 (-0,12%)
     
  • FTSE

    6.638,85
    -56,22 (-0,84%)
     
  • HANG SENG

    30.159,01
    +711,16 (+2,41%)
     
  • NIKKEI

    28.822,29
    +190,84 (+0,67%)
     
  • NASDAQ

    13.468,75
    -6,75 (-0,05%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6382
    -0,0138 (-0,21%)
     

Carrefour cria fundo de R$ 25 milhões para inclusão social e combate ao racismo

O Globo
·1 minuto de leitura

RIO – Quatro dias após o assassinato de João Alberto Silveira Freitas em uma de suas unidades em Porto Alegre, o Carrefour anunciou, nesta segunda-feira, a criação de um fundo com aporte inicial de R$ 25 milhões para o “combate ao racismo estrutural no país” e a promoção de “ações afirmativas para a inclusão social e econômica de negros e negras na sociedade”.

“Sabemos que não podemos reparar a perda da vida do senhor João Alberto”, afirmou Noël Prioux, CEO do Grupo Carrefour Brasil, em comunicado. “Este movimento é o primeiro passo da empresa para que o combate ao preconceito e racismo estrutural, que é urgente no Brasil, ganhe ainda mais força e apoio da sociedade”.

Segundo a companhia, a criação do fundo de R$ 25 milhões é adicional ao compromisso já firmado, de reverter para a causa todo o resultado das vendas realizadas em todos os hipermercados da rede no país no dia 20 de novembro, data em que se comemora do Dia da Consciência negra, e dia seguinte à morte de João Aberto.

Nos últimos dias, afirmou a empresa, aconteceram reuniões com entidades e especialistas que combatem o racismo, “visando compreender e aprender sobre como atuar de forma concreta na luta contra todo e qualquer tipo de discriminação, que inclui também outros públicos minorizados”.

Na quarta-feira, a rede vai anunciar os compromissos e o plano de ação do fundo. Entre as iniciativas serão financiadas estarão ações internas e projetos externos. Nesta segunda-feira, as ações da companhia fecharam em queda de 5,35%, apesar do otimismo na Bolsa de São Paulo.

“Acreditamos que poderemos evoluir e contribuir para a construção de uma sociedade mais inclusiva e igualitária”, afirmou Prioux.