Mercado fechado

Carrefour admite negociações com Makro

Adriana Mattos

O grupo francês diz que a transação não envolve a totalidade das operações do Makro no Brasil O Carrefour informou nesta segunda-feira (10), em comunicado ao mercado, “que está em fase de tratativas com os acionistas controladores do Makro Atacadista a respeito de uma possível operação, concebida como uma aquisição de determinados ativos imobiliários e acessórios atualmente operados pelo Makro”. A informação é resposta à Comissão de Valores Mobiliários sobre ofício que pedia esclarecimento a respeito de matéria do Valor sobre as negociações.

O grupo diz que a transação não envolve a totalidade das operações do Makro no Brasil. O Valor antecipou, na última sexta-feira (7), que a empresa avaliava a compra da operação, e, assim, considerava possível a aquisição de parte das lojas do Makro, inclusive de algumas lojas de São Paulo. Mas a rede holandesa preferia vender todo o negócio.

“As tratativas se intensificaram nos últimos dias, não havendo, no entanto, garantias de que a operação será celebrada”, diz a nota.

O Grupo Carrefour ainda diz que não é assessorado pelo Banco Rothschild. Segundo fonte, o banco assessorou os holandeses até o fim do ano passado, quando a transação acabou perdendo força. As conversas foram retomadas neste ano, diz a fonte.

O grupo ainda diz que os valores mencionados na notícia publicada pelo Valor, de R$ 5 bilhões, estão acima do proposto pelo grupo francês — a matéria informava que o Makro pedia R$ 5 bilhões por 75 lojas, mas o Carrefour considerava o valor alto e passou a negociar uma parte das lojas.