Mercado fechará em 3 h 47 min
  • BOVESPA

    116.938,60
    +804,14 (+0,69%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.830,80
    +401,05 (+0,88%)
     
  • PETROLEO CRU

    86,77
    +3,14 (+3,75%)
     
  • OURO

    1.734,30
    +32,30 (+1,90%)
     
  • BTC-USD

    20.060,20
    +674,73 (+3,48%)
     
  • CMC Crypto 200

    455,67
    +10,24 (+2,30%)
     
  • S&P500

    3.783,68
    +105,25 (+2,86%)
     
  • DOW JONES

    30.255,34
    +764,45 (+2,59%)
     
  • FTSE

    7.086,46
    +177,70 (+2,57%)
     
  • HANG SENG

    17.079,51
    -143,32 (-0,83%)
     
  • NIKKEI

    26.992,21
    +776,42 (+2,96%)
     
  • NASDAQ

    11.654,00
    +368,25 (+3,26%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1373
    +0,0634 (+1,25%)
     

'Carnívoros' ajudam a impulsionar o mercado de comida vegana

Consumidores de comida vegana somam pelo menos 60 milhões de pessoas
Consumidores de comida vegana somam pelo menos 60 milhões de pessoas (Getty Image)
  • Estudo mostra padrões de consumo para quem consome comida vegana

  • Existem aproximadamente 25 milhões de pessoas que não comem carne no Brasil

  • 54 mil toneladas de proteínas alternativas são produzidas no país

Quem disse que só veganos são adeptos de dietas plant-based? Com o avanço na tecnologia para a criação de comidas sem ingredientes de origem animal, cada vez mais pessoas têm optado por essas versões.

Um estudo feito por Gerson Charchat, sócio da Strategy&, consultoria estratégica da PwC, voltado para mostrar a tendências do consumo de alimentos baseados em plantas, aponta que os consumidores 'flexíveis' somam pelo menos 60 milhões de pessoas, só no Brasil. Isso é mais que o dobro do número estimado de veganos e vegetarianos (25 milhões).

Mesmo as pessoas que optam por continuar a inserir carne, leite e derivados no dia a dia estão se mostrando disposta a experimentar novos sabores e experiências gastronômicas.

"O Brasil hoje produz mais de 54 mil toneladas de proteínas alternativas e, em 2023, deve chegar a um milhão de toneladas. É um dos mercados que mais cresce no mundo e com um potencial enorme por aqui" afirmou Charchat ao jornal O Globo.

Só na América Latina, o crescimento deve ser de ao menos 23,5% ao longo de dez anos. Segundo uma pesquisa da Allied Market Research, o mercado vegano deve alcançar US$ 36,3 bilhões até 2030, quase o dobro de 2020 (US$ 19,7 bilhões).

Dados do The Good Food Institute (GFI) mostram que os negócios plant-based cresceram no mundo todo mais de 7% ao ano e devem atingir US$ 10,9 bilhões até esse ano.

O número converge com um levantamento da IPEC que indica que 46% dos brasileiros não consomem carne, por desejo próprio, pelo menos uma vez na semana. Além das questões de saúde, sustentabilidade e diminuição da crueldade animal são algumas das razões apontadas por quem decidiu mudar um pouco o cardápio.