Mercado fechará em 4 h 52 min
  • BOVESPA

    120.284,49
    +222,50 (+0,19%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.794,40
    -73,22 (-0,15%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,56
    +0,21 (+0,34%)
     
  • OURO

    1.785,60
    -7,50 (-0,42%)
     
  • BTC-USD

    54.728,76
    -770,08 (-1,39%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.280,99
    +37,94 (+3,05%)
     
  • S&P500

    4.173,71
    +0,29 (+0,01%)
     
  • DOW JONES

    34.078,23
    -59,08 (-0,17%)
     
  • FTSE

    6.927,64
    +32,35 (+0,47%)
     
  • HANG SENG

    28.755,34
    +133,42 (+0,47%)
     
  • NIKKEI

    29.188,17
    +679,62 (+2,38%)
     
  • NASDAQ

    13.922,50
    +3,25 (+0,02%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6136
    -0,0884 (-1,32%)
     

Carlos Bolsonaro se irrita e xinga vereador petista de “vagabundo” e “canalha” em sessão

Redação Notícias
·1 minuto de leitura
Carlos Bolsonaro se irritou com colega em sessão da Câmara - Foto: Renan Olaz / Divulgação CMRJ
Carlos Bolsonaro se irritou com colega em sessão da Câmara - Foto: Renan Olaz / Divulgação CMRJ

O vereador Carlos Bolsonaro (PSC) voltou a se irritar em uma sessão da Câmara do Rio de Janeiro na última quarta-feira. O filho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) perdeu a paciência com o colega Reimont (PT) e chamou-o de “vagabundo” e “canalha”.

Tudo começou quando o petista leu uma carta da ex-presidente Dilma Rousseff durante a sessão online. O texto criticava a atuação do governo na pandemia, o que fez com que Carlos tomasse as dores do pai e disparasse contra Reimont.

Leia também:

“Infelizmente, só tem canalhas aqui dentro dessa Casa, que levam para uma linha política em vez de tentar sempre levar para uma linha de melhoria da sociedade carioca e do Brasil. Então, deixo aqui meu voto de aplausos (pelo PL em discussão) e de repúdio a esses canalhas de sempre. Eele sabe muito bem do que eu to falando”, declarou, segundo a coluna de Lauro Jardim no O Globo.

O destempero do vereador do PSC foi repudiado pelo petista, o que irritou ainda mais Carlos Bolsonaro. “Quer dizer, o vagabundo me chama de genocida, chama meu pai de genocida e eu não posso chamar de canalha? É canalha mesmo, um canalha, é um cabeça de balão canalha”, disparou.

Presidente da sessão, Tânia Barros encerrou a discussão. “Até o presente momento, na sessão não houve nenhum tipo de vocabulário nessa ordem. Não ouvi nenhum vereador chamar o vereador Carlos Bolsonaro de genocida. Não pode trazer para dentro de uma sessão plenária o que se discute muitas vezes nas redes sociais”, disse.