Mercado fechado
  • BOVESPA

    114.647,99
    +1.462,52 (+1,29%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.798,38
    +658,14 (+1,26%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,66
    +1,35 (+1,66%)
     
  • OURO

    1.768,10
    -29,80 (-1,66%)
     
  • BTC-USD

    61.535,91
    +2.099,32 (+3,53%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.464,06
    +57,32 (+4,07%)
     
  • S&P500

    4.471,37
    +33,11 (+0,75%)
     
  • DOW JONES

    35.294,76
    +382,20 (+1,09%)
     
  • FTSE

    7.234,03
    +26,32 (+0,37%)
     
  • HANG SENG

    25.330,96
    +368,37 (+1,48%)
     
  • NIKKEI

    29.068,63
    +517,70 (+1,81%)
     
  • NASDAQ

    15.144,25
    +107,00 (+0,71%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3297
    -0,0741 (-1,16%)
     

Carlos Bolsonaro apresenta projeto para barrar atuação de atletas trans no Rio e cortar incentivos

·1 minuto de leitura


O vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos) apresentou um projeto de lei na Câmara Municipal do Rio de Janeiro que pretende proibir a prefeitura de pagar bolsas de incentivo para atletas trans que queiram jogar 'no sexo oposto'. A PL também visa proibir atletas de atuarem dentro do município. A informação foi publicada pelo jornal 'O Globo'.

+ Veja a tabela do Brasileirão!

Segundo a proposta, os organizadores de evento na cidade do Rio precisariam preencher um termo onde declaram não haver pessoas trans em provas que não sejam do seu sexo biológico. O texto prevê ainda multa de R$ 10 mil e revogação da licença do evento. A lei valeria para qualquer evento com participação da prefeitura, de maneira direta ou indireta.

- Com esse argumento pseudocientífico, e de clara ordem política arbitrária, ativistas LGBT defendem que pais e mães devem permitir que seus filhos decidam na mais tenra idade, questões de identidade sexual - diz parte do texto publicado no Diário Oficial da Câmara nesta sexta-feira.

Carlos ainda citou a jogadora de vôlei Tiffany, primeira trans a atuar na Liga Nacional de vôlei. Segundo o vereador, a medida visa conter a 'difusão da ideologia de gênero'.

- Não é uma problematização, uma questão inexistente; ao contrário, se nada for feito, veremos o surgimento de um contingente de meninas e mulheres francamente frustradas e ejetadas de um dos campos mais significativos da cultura, o esportivo - afirma Carlos ao mencionar Tiffany na exposição de motivos.

Para ser validado o projeto precisa ser levado a pauta pelo presidente da Câmara Municipal e ser aceito pela maioria dos vereadores. Caso esse processo seja validado pelo colegiado, é necessário ainda a sanção do prefeito do Rio Eduardo Paes.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos