Mercado abrirá em 49 mins
  • BOVESPA

    121.113,93
    +412,93 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.726,98
    +212,88 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    62,92
    -0,21 (-0,33%)
     
  • OURO

    1.781,90
    +1,70 (+0,10%)
     
  • BTC-USD

    57.027,05
    +2.213,75 (+4,04%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.293,80
    -97,91 (-7,04%)
     
  • S&P500

    4.185,47
    +15,05 (+0,36%)
     
  • DOW JONES

    34.200,67
    +164,67 (+0,48%)
     
  • FTSE

    7.020,47
    +0,94 (+0,01%)
     
  • HANG SENG

    29.106,15
    +136,44 (+0,47%)
     
  • NIKKEI

    29.685,37
    +2,00 (+0,01%)
     
  • NASDAQ

    13.973,25
    -56,25 (-0,40%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7038
    +0,0177 (+0,26%)
     

Cargueiro movido a hidrogênio será o primeiro navio "verde" do mundo

Gustavo Minari
·3 minuto de leitura

Um gigante movido a hidrogênio pode se tornar o primeiro navio de carga do mundo a utilizar uma fonte de energia limpa como único combustível. O barco, projetado pela Companhia Francesa de Transportes Fluviais, deve zarpar até o final deste ano.

A estreia da embarcação verde vai acontecer nas águas do Rio Sena, que corta a cidade de Paris. Ele foi feito para navegar por rios e lagos e, pelo menos por enquanto, não está preparado para cruzar os oceanos.

“A demanda por tecnologias mais sustentáveis no transporte fluvial está aumentando. Estamos felizes por liderar o caminho na redução de emissões de transporte e demonstrar as características superiores das células de combustível de hidrogênio em aplicações aquáticas”, declarou o diretor da companhia, Matthieu Blanc.

O navio “verde” faz parte do projeto Flagships e custou aproximadamente US$ 6 milhões (cerca de R$ 33 milhões), valor custeado pelo programa Horizon 2020, da União Europeia, que incentiva pesquisas no transporte de carga em embarcações movidas a hidrogênio. Outros dois navios estão em construção financiados pelo mesmo projeto.

Projeto da balsa Flagships H2 que também será movida a hidrogênio (Imagem: Reprodução/ Flagships)
Projeto da balsa Flagships H2 que também será movida a hidrogênio (Imagem: Reprodução/ Flagships)

Como o hidrogênio se transforma em combustível

A única fonte de energia utilizada pelo cargueiro é uma espécie de hidrogênio comprimido produzido a partir da eletrólise, que converte a energia elétrica em energia química. Neste caso, dois eletrodos ligados a uma fonte de energia são inseridos em um recipiente com água. As barras têm polaridades diferentes e a energia que passa por elas separa o hidrogênio presente na água.

Esse processo demanda muita potência, já que sua eficiência energética é de cerca de 80%. Isso significa que para gerar 80 quilowatts/quilo de força seriam necessários 100 kWh de eletricidade. Nesse tipo de produção é possível que a emissão de carbono seja zero, desde que a fonte de eletricidade utilizada também seja limpa.

Maiores poluidores

Os grandes navios de carga e os luxuosos transatlânticos de cruzeiro são responsáveis pela maior parte da poluição despejada nos oceanos e são também os que mais emitem gases tóxicos para se locomoverem.

Em alto-mar, os navios podem não parecer uma grande ameaça ao meio ambiente, mas a poluição causada por embarcações representa 2% das emissões globais de gás carbônico. Segundo um estudo feito pela Federação Europeia do Transporte e Ambiente, 43 navios de cruzeiro emitem por ano mais dióxido de carbono do que 100 milhões de automóveis movidos a gasolina.

Navios cargueiros produzem 2% de todo o gás carbônico jogado na atmosfera (Imagem: Reprodução/Envato)
Navios cargueiros produzem 2% de todo o gás carbônico jogado na atmosfera (Imagem: Reprodução/Envato)

Isso acontece porque a maior parte dos grandes navios utilizam óleo cru para funcionar. Esse tipo de combustível é mais barato e mais poluente que os derivados refinados, como a gasolina e o óleo diesel.

A questão econômica é justamente o maior desafio para utilização do hidrogênio como combustível, já que os produtos fósseis são mais baratos e dão uma autonomia muito maior às embarcações, principalmente ao percorrer grandes distâncias. Se os navios tiverem que parar no meio do caminho para reabastecer, isso pode encarecer o custo das viagens.

É preciso amadurecer a ideia antes de termos navios “verdes” cruzando os oceanos sem deixar para trás um rastro de poluição. Você acredita que o hidrogênio é uma solução viável de combustível? Comente.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: