Mercado fechado

Cargueiro KC-390 da Embraer terá novo nome após parceria com Boeing

Rita Azevedo

Joint venture que será criada para promover a venda da aeronave será chamada de Boeing Embraer – Defense A Embraer anunciou nesta segunda-feira que o cargueiro militar KC-390 passará a ser vendido como C-390 Millennium após a conclusão do acordo com a americana Boeing, que ainda está sob análise de órgãos internacionais. A Embraer informou ainda que a joint venture que será criada para promover a venda do C-390 será chamada de Boeing Embraer – Defense.

Divulgação

A aeronave recebeu a certificação da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) em 2018. A Força Área Brasileira (FAB) recebeu o primeiro modelo em setembro e deve receber o segundo até o fim deste ano. Em 2023, devem ser entregues mais cinco aviões do modelo para Portugal.

Além da joint venture para promover o cargueiro militar, a Embraer e a Boeing pretender formar uma nova empresa na área de aviação comercial, que será chamada de Boeing Brasil - Commercial.

A conclusão dos acordos ainda depende da aprovação de órgãos regulatórios. Na última semana, o vice-presidente financeiro e de relações com investidores da Embraer, Nelson Salgado, disse que a companhia já deu entrada em todos os pedidos de aprovação.

Uma das autorizações mais aguardadas é a da Comissão Europeia. O órgão antitruste da União Europeia decidiu estender a análise da operação e, na última segunda-feira, retirou o prazo final para a investigação, à espera de informações adicionais que foram solicitadas às companhias.

Inicialmente, a data final para conclusão das investigações era 20 de fevereiro, prazo que havia sido prorrogado para 5 de março. Segundo Salgado, é “normal” que a autoridade antitruste peça mais informações sobre as companhias e, por isso, suspenda o prazo.