Mercado abrirá em 1 h
  • BOVESPA

    120.294,68
    +997,55 (+0,84%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.329,84
    +826,13 (+1,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    62,99
    -0,16 (-0,25%)
     
  • OURO

    1.745,60
    +9,30 (+0,54%)
     
  • BTC-USD

    62.480,02
    -1.744,98 (-2,72%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.363,57
    -12,21 (-0,89%)
     
  • S&P500

    4.124,66
    -16,93 (-0,41%)
     
  • DOW JONES

    33.730,89
    +53,62 (+0,16%)
     
  • FTSE

    6.971,80
    +32,22 (+0,46%)
     
  • HANG SENG

    28.793,14
    -107,69 (-0,37%)
     
  • NIKKEI

    29.642,69
    +21,70 (+0,07%)
     
  • NASDAQ

    13.905,00
    +106,25 (+0,77%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7816
    +0,0087 (+0,13%)
     

Carga de energia do Brasil em 2021 é revisada para baixo

·1 minuto de leitura
Linhas de transmissão de energia

SÃO PAULO (Reuters) - A carga de energia elétrica do Brasil deverá crescer 3,2% em 2021, estimaram nesta sexta-feira órgãos oficiais, que antes tinham apontado aumento de 3,4% para este ano.

A revisão foi realizada após um arrefecimento do ritmo de recuperação observado ao final de 2020, disseram o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) e Empresa de Pesquisa Energética (EPE), em boletim.

Os órgãos citaram ainda a perspectiva de queda de atividade no primeiro trimestre, que levou a uma revisão da projeção de PIB de 2021 de 3,3% para 3%.

Para o médio e longo prazos, as previsões de carga de energia foram assim estimadas: aumento de 3,4% em 2022; altas de 3,6% em 2023 e 2024; e avanço 3,5% em 2025.

Na média de 2021 a 2025, o crescimento estimado é de 3,5% ao ano, ante 3,6% na previsão anterior.

(Por Roberto Samora)