Mercado abrirá em 4 h 25 min
  • BOVESPA

    119.297,13
    +485,13 (+0,41%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.503,71
    +151,51 (+0,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,01
    +0,83 (+1,38%)
     
  • OURO

    1.746,70
    -0,90 (-0,05%)
     
  • BTC-USD

    64.556,71
    +3.666,26 (+6,02%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.397,27
    +103,28 (+7,98%)
     
  • S&P500

    4.141,59
    +13,60 (+0,33%)
     
  • DOW JONES

    33.677,27
    -68,13 (-0,20%)
     
  • FTSE

    6.903,18
    +12,69 (+0,18%)
     
  • HANG SENG

    28.900,83
    +403,58 (+1,42%)
     
  • NIKKEI

    29.620,99
    +82,29 (+0,28%)
     
  • NASDAQ

    13.992,75
    +17,00 (+0,12%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,8422
    +0,0110 (+0,16%)
     

'Capital da soja' no Brasil, Sorriso declara estado de emergência após chuvas

Ana Mano
·2 minuto de leitura
Grãos de soja

Por Ana Mano

SÃO PAULO (Reuters) - A cidade de Sorriso, em Mato Grosso, importante polo de produção agrícola, declarou "estado de emergência" na última semana, após fortes chuvas durante a época de colheita de grãos de verão que geraram perdas de safra e danos à infraestrutura local, disse um representante do poder público à Reuters nesta segunda-feira.

O município no maior Estado produtor de soja do Brasil declarou o estado de emergência em 11 de março, na sequência de chuvas que somaram cerca de 800 milímetros nos últimos 45 dias, segundo um comunicado enviado pela prefeitura.

Houve danos a parte dos cultivos de soja da cidade, assim como a estradas, o que dificulta a movimentação da produção e restringe a circulação de pessoas na região.

O estado de emergência permitirá ao governo municipal dispensar licitações para contratar a reconstrução de pontes e estradas, de acordo com o comunicado. Ele também garantirá a produtores locais a possibilidade de renegociar contratos e dívidas.

A prefeitura de Sorriso estima perdas de 1,5 bilhão de reais para o setor privado local após as fortes chuvas. A área plantadas com soja na cidade é estimada em 620 mil hectares.

No Brasil como um todo, produtores já colheram 46% da área de soja até a última quinta-feira, contra 59% no mesmo período do ano anterior, com a chuva abundante continuando a atrapalhar o ritmo dos trabalhos, disse a consultoria AgRural nesta segunda.

O clima úmido também atrasou o plantio da segunda safra de milho do Brasil, que é semeadas depois que a soja é colhida nas mesmas áreas.

Produtores haviam semeado 74% da área estimada da segunda safra de milho no centro-sul do Brasil, abaixo dos 89% da temporada anterior, segundo a AgRural.

Na maior parte do Brasil, a janela climática ideal para o plantio da segunda safra de milho já se encerrou, de acordo com a consultoria.