Mercado fechado
  • BOVESPA

    119.710,03
    -3.253,98 (-2,65%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.748,41
    -906,88 (-1,83%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,56
    -0,52 (-0,79%)
     
  • OURO

    1.818,50
    -4,30 (-0,24%)
     
  • BTC-USD

    50.298,28
    -6.796,86 (-11,90%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.382,61
    -181,23 (-11,59%)
     
  • S&P500

    4.063,04
    -89,06 (-2,14%)
     
  • DOW JONES

    33.587,66
    -681,50 (-1,99%)
     
  • FTSE

    7.004,63
    +56,64 (+0,82%)
     
  • HANG SENG

    27.971,66
    -259,38 (-0,92%)
     
  • NIKKEI

    27.628,73
    -518,78 (-1,84%)
     
  • NASDAQ

    13.056,25
    +57,75 (+0,44%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4099
    +0,0044 (+0,07%)
     

Capitão do Liverpool faz coro a Klopp e detona Superliga Europeia

Rodrigo Salomao
·1 minuto de leitura

Segue repercutindo (e mal) o anúncio da criação de uma Super Liga com clubes gigantes do futebol europeu. Um dos fundadores que mais chamaram a atenção foi o Liverpool. Tão logo seu nome foi vinculado ao movimento, torcedores da equipe passaram a protestar de forma veemente nas redes sociais e também em Anfield. Mas, além disso, os protestos chegaram também a membros do próprio time, como o técnico Jurgen Klopp e o capitão James Milner.

Depois do empate em 1 a 1 com o Leeds pela Premier League, o treinador alemão não mediu palavras para opinar de forma contrária à realização da competição:

"É difícil, as pessoas não estão felizes e eu não estou envolvido. O Liverpool é mais do que algumas decisões. O meu objetivo sempre foi fazer parte da Champions League. Gosto da ideia de que o West Ham pode jogar a Champions. As partes mais importantes do clube são os torcedores e a equipe. E devemos ter certeza de que nada atrapalhe isso", disse à BBC.

Torcedores protestaram antes da partida entre Leeds e Liverpool. | Clive Brunskill/Getty Images
Torcedores protestaram antes da partida entre Leeds e Liverpool. | Clive Brunskill/Getty Images

Seu capitão, James Milner, foi pelo mesmo caminho. Demonstrando muita contrariedade à decisão da diretoria dos Reds, o meio-campista foi enfático ao esclarecer que não foi consultado e que não concorda com a medida:

"Não gosto nada disso e espero que não se concretize. O sistema atual funcionou tão bem durante tanto tempo. O que o tornou tão especial foi o fato de termos de ganhar o direito de participar na Champions League. Nós, enquanto jogadores, não tivemos qualquer voto, por isso é algo injusto. Tudo o que podemos fazer é ganhar jogos", asseverou.